segunda-feira, 23 de julho de 2012

PRINCÍPIOS...


1 - O Escuta orgulha-se da sua fé e por ela orienta toda a sua vida.
2 - O escuta é filho de Portugal e bom cidadão.

3 - O dever do escuta começa em casa.
Portugal está a arder... não só ao nível das chamas que o consomem mas também... políticamente. No entanto, o Escuteiro não é pessoa dada à discussão pública da situação do País, não sendo por isso menos interessado pelo que se vai passando no quotidiano, porque tem sempre presente o 2º. Princípio, que lhe diz que 'O ESCUTA É FILHO DE PORTUGAL E BOM CIDADÃO', logo alguém interessado no bem estar de todos os cidadãos... e isso é política, quer se queira ou não!
Mas não é para falar de política que escrevo, mas sim para lembrar o significado do 3º. Princípio do Escuta: 'O DEVER DO ESCUTA COMEÇA EM CASA'.
Se orientamos a nossa vida pela fé que nos orgulhamos de professar, o sentido do Próximo não nos é indiferente, pois é nosso Próximo todo aquele que connosco participa na aventura da vida, pobre ou rico, atleta ou inválido, preto, branco ou amarelo! Meu próximo encontra-se entre aqueles que sofrem e são socorridos por alguém como o samaritano de que nos fala a parábola do Divino Chefe. É interessante pensar no 3º. Princípio como interpelante e capaz de nos dar respostas imediatas a tantas perguntas que nos são feitas. Por exemplo, até porque está na ordem do dia, não me repugna vêr um Escuteiro a faltar a uma qualquer reunião ou actividade em razão da ajuda que urge prestar àqueles que vivem na sua 'casa' dias de angústia por força dos incêndios que têm devastado essa 'casa'. Porque a casa a que refere o 3º. Princípio terá de ser alargada nos seus horizontes, deixando de ser a casa onde se reside e passando a considerar-se o lugar, a aldeia, a vila, a cidade, a região ou o país!
Esse será, verdadeiramente, o sentido do 3.º Princípio.
Na Madeira e no Algarve sente-se estarem os Escuteiros a ser fiéis a este Princípio, quando se dá a mão àqueles que procuram encontrar lenitivo para as suas perdas naquilo que os Escutas lhes vão proporcionando! Aí os Escuteiros estão a dar a mão ao seu Próximo... cumprindo aquilo que Cristo ensina na parábola do samaritano.
Caíu bem nas populações a ajuda dada nas limpezas, prestada pelos Escuteiros belgas que estiveram ao serviço da comunidade de Bragança. Que magnífica lição esta ajuda ao Próximo por eles dada!!!
'O Dever do Escuta começa em casa'... nem que esta se situe a milhares de quilómetros, porque o Escutismo é uma Fraternidade Universal e esta não pode ter fronteiras!
Na caminhada do nosso dia-a-dia não nos podemos permitir ficar despreocupados com o nosso Próximo, mesmo continuando sempre a perguntar-nos quem é ele, afinal. Será a nossa família? Mas não é nossa família todo o Povo de Deus? Medita nos Princípios... e o Divino Chefe Jesus Cristo te dará a resposta!