quinta-feira, 2 de junho de 2011

ESCUTISMO/ESCOTISMO DE ONTEM E HOJE.

Não creio estar a falar de algo capaz de causar admiração a quem me lê, porque a evolução que o Escutismo no mundo veio a sofrer desde que Robert Baden-Powell meteu mãos ao trabalho e procurou dar um sentido à vida da juventude do seu tempo, ainda que o tenha feito na prespectiva da sociedade inglesa, um pouco diferente de tudo o que se possa imaginar em termos de cidadania no mundo... porque eivada de princípios nada consentâneos com a velha mas sempre actual  "Liberdade...Igualdade...Fraternidade..." que a Revolução Francesa disseminou pelo mundo.
A Inglaterra sempre foi puritana, arrogante, racista, elitista e outras coisas de igual similitude, mas Lord Baden-Powell of Gilwell, o Fundador do Escutismo, conseguiu fazer aprovar um Movimento que apenas alguém como ele poderia criar, por ser capaz de entender o Mundo de então,  envolvido em acções tendentes à mudança das coisas que respeitavam à liberdade e igualdade  dos Povos, levando a que ele, BP - como é carinhosamente conhecido - tivesse estado em missão na Índia e na África do Sul, por exemplo, a tomar parte em guerras  que lhe proporcionaram gerar a ideia de criar um Corpo de Cadetes que viesse a constituír a rectaguarda das forças combatentes, executando aquelas tarefas que não exigiam participação nos combates, como por exemplo a entrega de mensagens ou de géneros alimentícios entre as populações.
Sabendo como estavam a viver os jovens na sua Inglaterra distante, BP começou por escrever o  "Aids to Scouting"  para a formação dos seus soldados, mas depressa  fez publicar na imprensa londrina fascículos do similar dedicado à juventude, a que deu o título de "Scouting for Boys", que foi rápidamente adoptado pelas instituições escolares, pois viram naquelas ideias expostas nas páginas do jornal um modo de darem um sentido à vida dos jovens que lhes eram confiados.
Em pouco tempo o Escutismo começava a abrir as portas do êxito, pois começavam a organizar-se patrulhas de jovens em busca de um ideal de vida que os pudesse tornar em jovens cujo destino já não seria uma incógnita, mas sim cientes do seu valor enquanto pessoas capazes de ser arautos de um mundo novo, mais solidário, mais participativo, mais virado para Deus e para o Próximo.
Para isso passou a juventude a seguir um ideal em que havia uma Lei, havia Princípios e havia Compromisso de Honra, para além de estarem subordinados a uma Divisa simples mas eficaz: BE PREPARED  ou SEMPRE ALERTA. Quem está alerta está de algum modo preparado para a vida. Talvez por essa razão a Coroa inglesa manifestou ao herói de Mafeking o interesse em que ele dedicasse o seu tempo ao desenvolvimento do método escutista, o que BP fez com entusiasmo.
Não pretendo escrever mais uma biografia do Homem mais conhecido no mundo... e não digo depois de Cristo porque pareceria heresia, uma vez que Deus é intemporal e é tudo em todos, logo não há maior personalidade que esse Deus que se fez Homem... aí Jesus é o maior de todos os tempos, porquanto é apresentado sempre como Deus, que é,  e como Homem, que assumiu ser por amor aos Homens. No que concerne a BP,  a dimensão é apenas humana... e aí poderá ser considerado um Cidadão do Mundo em toda a plenitude.
O meu intuito é apenas estabelecer fronteiras entre o Escutismo/Escotismo  e o espírito e pensamento do Fundador, vogando no Tamisa dos tempos da Londres Victoriana até à  Londres onde pontifica Isabel II. 
Se o irei conseguir, amanhã se saberá, pois está nas mãos daqueles que aceitam o Escutismo como escola deformação integral dos jovens segundo o sistema legado por Lord Baden-Powell, contido na "Bíblia" do Escutismo que se chama ESCUTISMO PARA RAPAZES.
Boa Caça
O Lobo Esfaimado voltará ao tema.   CONTINUA.