domingo, 30 de janeiro de 2011

O "CHEFE" NO ESCUTISMO...

Em criança, ainda Lobito, ensinaram-me que "O Chefe tem de ser sempre respeitado!", ou então "O Chefe simboliza a Lei... e a Lei deve ser cumprida, 'DA MELHOR VONTADE', porque sem Lei não há organização e sem organização fracassamos!". Claro que estou a falar de um Escutismo de sessenta anos atrás, quando ainda eram as Catequeses Paroquiais, as aulas de Religião e Moral nos Liceus, ou os Agrupamentos de Escuteiros quem dava um pouco de sentido ético às vidas de cada um de nós... não que em nossas casas não nos fossem dadas as coordenadas de vida capazes de nos orientar na caminhada.
Aprendi desde muito cedo que o modelo de "Chefe" deve ser aquele que emana da figura de Cristo, o Divino Chefe, que conhece as Suas ovelhas e elas ouvem a Sua Voz e seguem-O, porque n'Ele confiam! Também deveria ser assim no Escutismo, de um modo absoluto, mas sem subserviências, nepotismos, exibicionismos e outros "ismos" de que por vezes enfermam as relações Adulto/Rapaz - ou Rapariga - no quotidiano da vida dos Agrupamentos.
É aqui que afirmo a necessidade de os Assistentes estarem Sempre Alerta e interagirem com as Chefias, sejam elas de Bando, Patrulha, Equipa, Alcateia, Grupos, Clã ou de Unidade a todos os níveis. É que o Chefe que não saiba descer ao nível do seu subordinado, dirigindo pela acção e pela razão, em vez de o fazer pela imposição e prepotência de métodos... está a fracassar na sua missão, deixando de ser um Dirigente credível e passando a ser alguém que se deseja longe de nós, porque não entendeu o que é educar pela acção, dirigir com o coração!
Na Oração do Escuta dizemos:
"SENHOR JESUS, ENSINAI-ME A SER GENEROSO, A SERVIR-VOS COMO VÓS O MERECEIS; A DAR-ME SEM MEDIDA; A COMBATER SEM CUIDAR DAS FERIDAS; A TRABALHAR SEM PROCURAR DESCANSO, A GASTAR-ME SEM ESPERAR OUTRA RECOMPENSA SENÃO SABER QUE FAÇO A VOSSA VONTADE SANTA".
O Dirigente consciente deve rezar com frequência ao Chefe Divino, pedindo-lhe que o ensine a conhecer os seus rapazes/raparigas como se fossem as ovelhas do redil do Bom Pastor, para que elas o sigam no caminho do bem, fiéis à Boa Acção de cada dia e ao espírito da Lei, da Promessa e dos Princípios.
Ser Escuteiro não é só acampar, fazer jogos, Fogos de Conselho, raides ou venda de calendários; não é estar sempre pronto para andar nas procissões ou nas festas da terra a passear uma farda ostentando mais ou menos insígnias de capacidade! Ser Escuteiro não é ser o melhor da nossa rua... até porque moramos num local isolado, nem é estar pronto para entregar sacos do Banco Alimentar Contra a Fome à entrada dos supermercados! Não! Ser Escuteiro é ser exemplo para a sociedade em que estamos inseridos, é ser o primeiro da nossa comunidade a estar "SEMPRE ALERTA PARA SERVIR", "...SEM ESPERAR OUTRA RECOMPENSA SENÃO SABER QUE FAÇO À VOSSA VONTADE SANTA".
O Chefe no Escutismo deve ser tudo isto e muito mais! O Chefe deve ser o primeiro em tudo aquilo que faz e não deve mandar fazer o que ele mesmo não sabe. Antigamente usava-se na boina ou no chapéu um "penacho" com a côr da Secção a que o Chefe pertencia, mas graças a Deus que foi abolido esse acessório, que levava a algumas tiradas menos simpáticas por parte de alguns detractores do Escutismo.
Tomemos por exemplo Jesus, o Divino Chefe, na certeza de que estaremos a tomar a opção certa... e o Escutismo agradece. Boa Caça, Irmãos!
Lobo Esfaimado