segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

porque é NATAL,...

 A TODOS OS ESCUTEIROS/ESCOTEIROS, ACTUAIS E ANTIGOS E FAMÍLIAS, DESEJO:
O Divino Chefe renova a Sua Mensagem de Paz para o Mundo! Mais uma vez é Natal de Jesus! Rejubilemos e sejamos dignos d'Ele, que se dignou vir ao Mundo por nosso Amor!
ARRAIAL...ARRAIAL...ARRAIAL... PELO CHEFE DIVINO, PELA SUA E NOSSA MÃE, A VIRGEM MARIA... POR PORTUGAL!!! SEMPRE... ALERTA!!!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

DIA DE S. FRANCISCO DE ASSIS... DO LOBITO...

São Francisco, o "Poverello",  nasceu em Assis,  na Itália, entre 1181 e 1182 , sendo baptizado com o nome de Giovanni di Pietri, que  foi mudado pouco tempo depois para Francisco, pois seu pai,  Petri di Bernardone, que  era comerciante e viajava muito a França, resolveu mudar o nome do filho em homenagem ao local onde fazia bons negócios. Em 1198 estalou um conflito em Assis, entre a nobreza e os comerciantes. Os nobres refugiam-se  em Perusa, uma pequena cidade próxima de Assis, onde São Francisco foi preso durante  um ano,  até ao ano de 1204. Era em Perusa que também se encontrava a família de Santa Clara.
São Francisco   volta para Assis doente, começando aqui  uma conversão gradual, pois dedica-se  a distribuír esmolas e até oferece suas roupas aos pobres. Começa a ter visões e a desprezar o dinheiro e as coisas mundanas.Um dia encontra  um leproso, a quem  dá esmola e um beijo, tendo este acontecimento marcado tanto a sua vida que, dos muitos factos ocorridos durante a sua vida, este foi o que primeiro  entrou no seu Testamento, "pois o que antes era amargo se converteu em doçura da alma e do corpo".
Afirmou-se ainda mais a vocação de São Francisco quando, nas ruínas da da igreja de São Damião, recebeu do Crucificado o mandato para restaurar a Igreja. Obediente a tal mandato, São Francisco pôs-se logo a trabalhar. Reconstruiu três pequenas igrejas abandonadas: a de São Damião, a de Santa Maria dos Anjos e a de São Pedro.
O pai, sentindo-se envergonhado do novo género de vida adoptado por Francisco, queixou-se ao bispo de Assis da prodigalidade do filho e, diante do prelado, pediu a Francisco que lhe devolvesse o dinheiro gasto com os pobres.
A resposta foi a renúncia à vultosa herança: despindo-se ali mesmo das suas vestes, Francisco exclamou: "... doravante não direi mais pai Bernardone, mas Pai Nosso que estás no céu..."  E a partir desse momento começa a viver na pobreza  e dá inicio à Ordem Franciscana, com o crescimento do número de companheiros, que em 1209 já é de 12. Criou uma regra muito breve e singela, que o papa Inocêncio III aprovou em 1210, e cujas directrizes principais eram a  Pobreza e a Humildade. Surge assim a Fraternidade dos Irmãos Menores, a Primeira Ordem.
No Domingo de Ramos de 1212, uma  senhora nobre, chamada Clara de Favarone, foi procurar Francisco para abraçar a vida de pobreza. Alguns dias depois, Inês, sua irmã, segue-lhe o caminho. Surge então a Fraternidade das Pobres Damas, a Segunda Ordem. Os que eram casados ou que tinham  as suas ocupações no mundo e não podiam ser frades ou irmãs religiosas, mas pretendiam seguir os ideais de Francisco, não ficaram esquecidos: cerca do ano de 1220,
Francisco deu início à Ordem Terceira Secular, destinada a homens e mulheres, casados ou não, que continuavam nas suas actividades na sociedade,  mas viviam segundo o Evangelho.
A Ordem Francisca cresceu, com o passar dos anos. Em 1219 houve  grande expansão para a Alemanha, Hungria, Espanha, Marrocos e França e neste mesmo ano São Francisco foi em missão ao Oriente. Durante a sua ausência, houve vigários que modificaram algumas regras da Ordem, pelo que no mesmo ano de 1219 São Francisco se demitiu da direção da Ordem.
Com o crescimento da Ordem, quase 5.000 frades em 1221, uma nova regra foi escrita por São Francisco em 29 de Novembro de 1223, que foi aprovada pelo papa Honório. É a que vigora até aos dias de hoje.
Em 1224, no dia 17 de setembro,  São Francisco recebeu no seu próprio corpo  as Chagas de Jesus Crucificado.   Tal facto ocorreu no Monte Alverne, num dos eremitérios dos frades.
Os últimos escritos de São Francisco são datados de entre 1225 e 1226. De entre eles destacam-se o
Cântico das Criaturas e o Testamento. Nestes mesmos dois anos, São Francisco foi a vários lugares da Itália para tratar das suas vistas. Foi submetido a diversas cirurgias, mas morreu no dia  03 de Outubro de 1226, num dia de Sábado.
Morreu nú aquele que começou a sua vida de conversão nú,  na praça de Assis, diante do Bispo, do pai e dos amigos. Morreu ouvindo do Evangelho de S. João a narrativa da Páscoa do Senhor. Ele havia recebido os primeiros companheiros após ouvir o Evangelho do envio dos apóstolos. Foi sepultado no dia 04 de Outubro de 1226, Domingo, na Igreja de São Jorge, na cidade de Assis.
São Francisco de Assis foi canonizado em 1228 por Gregório IX e seu dia é comemorado em 04 de outubro.
Em 25 de maio de 1230 os ossos de São Francisco foram levados da Igreja de São Jorge para a nova Basílica construída para ele, a Basílica de São Francisco, hoje aos cuidados dos Frades Menores Conventuais

sábado, 1 de outubro de 2011

ESCUTISMO...ESCOTISMO ou IDIOTISMO...?


Vou a caminho dos 70 anos de idade, tendo entrado para o Movimento Escotista/Escutista ou o que lhe pretendam chamar, com os meus tenros 6 anos de idade, jamais me passando pela cabeça que um dia teria de disparar em todas as direcções, visando acabar com os disparates que a idiotice de alguns teima em manter no Movimento que Baden-Powell nos legou... certamente não imaginando que este País, que já foi grande e ele tão bem admirava, se viria a tornar um "Luna Park" para alguns exibirem as suas vaidades, que não as qualidades, como deviam.
Nunca vi tantos "chefes" a exibir a sua "árvore da sapiência", consubstânciada nas contas "herdadas" do pobre do Dinizulu, que se viu sem o seu símbolo do poder e ainda teve de suportar a entrega das mesmas contas a uns tipos que antes ostentavam um penacho, para dizerem ser alguém, mas que hoje preferem as contas de um "nativo"... que por "mero" acaso era aquilo que eles gostariam de ser: CONDUTOR DE HOMENS!
Jamais li alguma coisa em que B.P. condicionasse a aplicação do seu método ao ter de pertencer a esta ou àquela corrente, ao ter esta ou aquela côr de pele, ao viver segundo estes ou aquelas padrões de vida. Ele exigia, sim, que se cumprissem a LEI, os PRINCÍPIOS e a PROMESSA!
O Escuteiro/Escoteiro é amigo e irmão de todos os outros Escutas/Escoteiros, sejam eles do CNE, da AEP ou da Associação dos Escuteiros e Guias da Europa. E estes têm lutado, como já a AEP o teve de  fazer durante tantos anos, porque se pretenderem vêr reconhecidos como uma Associação que segue os métodos do Fundador... e têm acompanhado a co-educação desde os primeiros tempos desta em Portugal.

   Há já dezenas de anos que a educação mista foi imposta no domínio escolar: actualmente, faz parte da paisagem diária das crianças e dos jovens. Esta situação apresenta incontestavelmente aspectos positivos: os rapazes e raparigas não são mais educados na ignorância do outro sexo. Mas no que diz respeito à educação, torna mais difícil reconhecer a identidade plena de cada um. A mistura generalizada não permite o recolhimento necessário para que cada jovem se situe e descubra a sua identidade própria. Para além disso, verifica-se actualmente uma forte tendência para sexualizar todos os comportamentos e todas as relações homem/mulher.
 Sob o efeito poderoso da imagem normalizadora veiculada pelos média, favorece-se a generalização de atitudes baseadas nas relações sexuais dos adultos, onde a emotividade e afectividade, que não podem ser senão mal dominadas nesta idade, são as únicas regras de conduta propostas aos jovens.
 Numerosas vozes se fazem hoje ouvir para sublinhar a importância de uma educação diferenciada para rapazes e raparigas.
As Guias e Escuteiros da Europa praticam esta diferenciação desde a origem do Movimento.
Numa sociedade totalmente mista, elas propõem hoje um espaço específico para rapazes e outro para raparigas.
O objectivo educativo é:  

* permitir aos rapazes e raparigas a expressão e afirmação da sua identidade própria: as necessiades físicas e psicológicas, os centros de interesse, os modos de afirmação da personalidade são diferentes; num grupo misto, a tendência é mais de impor a norma masculina (linguagem, vestuário), o que é pouco respeitoso da identidade feminina.
* respeitar as diferenças de maturidade psicológica: especialmente na idade escolar e mesmo liceal; a maturidade precoce das raparigas tem um efeito desvalorizador nos rapazes.
* as actividades escutistas são assim, espaços de liberdade onde os rapazes e raparigas podem desempenhar cada um o seu papel, o que lhes permite descobrir progressivamente a riqueza e harmonia das suas vocações pessoais no plano divino e a sua complementaridade:

"Deus criou o Homem à sua imagem... Ele os criou, homem e mulher." * é por isso que, ao favorecer e respeitar a formação de uma identidade própria no quadro de Unidades homogéneas e separadas, o Movimento procura igualmente levar á descoberta desta complementaridade: a criação de uma organização com duas secções, separadas nas suas actividades mas partilhando as mesmas regras, objectivos e o mesmo ideal, e reunidas na igualdade de poder e de responsabilidade ao nível dos mais velhos e dos adultos, é uma intuição notável de modernidade.
Em todos os níveis, os responsáveis, homem e mulher, agem conjuntamente.

Na idade de Caminheiros e Guias-Mais-Velhas, as actividades de formação e de serviço comuns aos rapazes e raparigas são frequentemente organizadas no quadro do Clã ou do Fogo.
No respeito da sua identidade e das suas qualidades, eles vivem, pela prática das suas responsabilidades, uma experiência de complementaridade que os prepara directamente para a sua vocação de colaboração harmoniosa na construção do mundo.
Posição nacional e internacional:  
Presentemente, existem em Portugal três tipos de Associações:
* A Associação das Guias e Escuteiros da Europa - Portugal, membro reconhecido da
UIGSE-FSE.
* As organizações que constituem a Federação Escutista Portuguesa, que aderiu à
WOSM, e da qual fazem parte a Associação dos Escoteiros de Portugal e o Corpo Nacional de Escutas.
* A Associação das Guias de Portugal, membro reconhecido da
WAGGGS.
A AGEEP não faz parte da Federação Escutista Portuguesa. A
OMME não pode reconhecer mais do que uma organização ou federação por país, que no caso de Portugal é a federação já citada.
Em contrapartida a AGEEP é membro da
UIGSE-FSE. Esta União encontra-se espalhada por mais de uma quinzena de países da Europa. Para lá das fronteiras, propõe um mesmo Escutismo e organiza diferentes actividades de âmbito internacional: encontros, campos-escola europeus, Eurojam, etc...
A
UIGSE-FSE está reconhecida como Organização Não Governamental (ONG) pelo Conselho da Europa, com estatuto consultivo, participando activamente através dos seus representantes nos trabalhos deste organismo no que diz respeito à juventude ou à família.
- A  Associação  dos Escuteiros e Guias da Europa reconhece a importância da dimensão internacional do Escutismo.
- Está profundamente ligada à
UIGSE-FSE por laços fundamentais que nos unem numa mesma comunidade de ideal, de fé e de pedagogia.
- Concorda com os princípios fundamentais do Escutismo Mundial tal como estão definidos pela constituição e regulamento adicional de Julho de 1983 (Capítulo 1, art. 1, 2 e 3) da
OMME, segundo o método escutista original que ela utiliza (educação diferenciada, três ramos de idade com a prática do sistema de patrulhas...).
- A dimensão espiritual e a ligação a uma religião não constituem causas de incompatibilidade: antes pelo contrário, são parte integrante da constituição da
OMME.
Apenas uma visão errada da laicidade (considerada como oposta ou indiferente a toda a religião e não como aceitando todas as religiões) permite julgar "incompatível" a  vontade de referência explícita a uma dimensão cristã do Escutismo.
Julgo ser idiotice protelar-se a aceitação de um Movimento de Jovens que é reconhecido internacionalmente... mesmo que o não seja em todos os Organismos, porque há legislações que sem opõem ao desenvolvimento das Associações Jovens... vá-se lá saber porquê!
Que seja o Corpo Nacional de Escutas ou a Associação dos Escoteiros de Portugal a opor-se à existência do Escutismo da Europa no nosso País... apenas por despeito ou por simples desrespeito, o tempo o dirá. 
O ESCUTISMO NÃO PODE SER UMA COUTADA DE ENTRADA CONDICIONADA À MAIOR QUOTA DO CANDIDATO! O ESCUTISMO É PARA TODOS!  

domingo, 31 de julho de 2011

O CENTENÁRIO DA ASSOCIAÇÃO DOS ESCOTEIROS DE PORTUGAL

Associação dos Escoteiros de Portugal:
É uma associação educativa destinada aos jovens, sem fins lucrativos e reconhecida como de utilidade pública. 

Foi uma fundadora do Escotismo em Portugal e é a mais antiga organização juvenil portuguesa, representando no nosso País o escotismo aberto a todos - independente, interconfessional e multiétnico.
Os Escoteiros de Portugal são, na actualidade, a segunda maior associação juvenil portuguesa, contando com mais de 13 mil jovens que formam 145 unidades locais espalhadas pelo Continente e Regiões Autónomas.
São cem anos de um Movimento que se recusa a envelhecer, que vai  conservando todas as características de um método educativo que tem mantido inalteráveis os seus valores,  mesmo com as constantes actualizações dos programas que o  vão suportando, podendo considerar-se como um caso único de longevidade no confronto com todos os outros sistemas educativos alguma vez desenvolvidos e utilizados no  mundo.
No centenário da criação do primeiro Grupo de Escoteiros em território português, os Escoteiros de Portugal organizam o Acampamento Nacional do Centenário - AcNac onde vão juntar mais de 1 600 escoteiros de vários países.
De 1 a 7 de Agosto, na localidade de Arca, jovens de Portugal, Espanha, Alemanha, Rússia, Islândia, Angola, Guiné-Bissau e Cabo Verde, juntam-se no acampamento que será montado no sopé da Serra do Caramulo para viver uma experiência inesquecível e celebrar o Centenário do Escotismo Português.

Escotismo para todos” é o lema geral que orienta os Escoteiros de Portugal e que será transversal a todo o encontro.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Com o Verão... grandes actividades virão!

Também poderia dizer-se: "AS ACTIVIDADES QUE AÍ VIRÃO, SE PREPARÁMOS BEM O VERÃO". Mas... não vamos estar agora a pensar no que poderia ter sido planificado se nas reuniões de Patrulha  ou de Equipa  houvesse sido elaborada uma agenda participada por todos, pois duas cabeças pensam melhor do que uma, mesmo que nada garanta ser assim.
É sempre bom poder partir de mochila às costas, montar a  tenda e respirar a plenos pulmões, de um modo bem profundo todo ar puro que pudermos. Mas necessário será encontrar o local para o fazer, verificar junto dos proprietários qual a hipótese de ali ser feito o campo de verão, quais as estruturas necessárias, os apoios locais quanto a saúde, bombeiros, supermercado, a água para consumo, etc, além dos horários praticados... sem esquecer o da Eucaristia Dominical, como se compreenderá.
Explorar locais para actividades lúdicas a realizar, tais como raides, rappel, slide, canoagem, natação, jogos de campo, pista ou exploração e orientação. Procurar encontrar um bom local que permita cozinhar em segurança. Procurar saber onde haverá hipótese de encontrar madeira para pioneirismo.

No meu tempo de Explorador e Caminheiro, havia sempre um tempo em que os Guias de Patrulha/Equipa iam,ou delegavam em alguém que o fizesse por eles, logo que tivessem um tempo livre, fazer visitas a diversas localidades onde julgassem ser apetecível fazer uma actividade que viesse a ser a contento de todos. Faziam-se relatórios pormenorizados, distâncias, contactos, logística... enfim: Punha-se à disposição aquilo que poderia ser o local para a actividade de Verão que se aproximava.
Preparar as actividades atempadamente permite viver o Verão de muitas maneiras, pois basta saber qual o tipo de actividades pretendemos realizar. E saber escolher uma actividade rica em ideias é meio caminho para o êxito!
Boa Caça
Lobo Esfaimado. 

quinta-feira, 2 de junho de 2011

ESCUTISMO/ESCOTISMO DE ONTEM E HOJE.

Não creio estar a falar de algo capaz de causar admiração a quem me lê, porque a evolução que o Escutismo no mundo veio a sofrer desde que Robert Baden-Powell meteu mãos ao trabalho e procurou dar um sentido à vida da juventude do seu tempo, ainda que o tenha feito na prespectiva da sociedade inglesa, um pouco diferente de tudo o que se possa imaginar em termos de cidadania no mundo... porque eivada de princípios nada consentâneos com a velha mas sempre actual  "Liberdade...Igualdade...Fraternidade..." que a Revolução Francesa disseminou pelo mundo.
A Inglaterra sempre foi puritana, arrogante, racista, elitista e outras coisas de igual similitude, mas Lord Baden-Powell of Gilwell, o Fundador do Escutismo, conseguiu fazer aprovar um Movimento que apenas alguém como ele poderia criar, por ser capaz de entender o Mundo de então,  envolvido em acções tendentes à mudança das coisas que respeitavam à liberdade e igualdade  dos Povos, levando a que ele, BP - como é carinhosamente conhecido - tivesse estado em missão na Índia e na África do Sul, por exemplo, a tomar parte em guerras  que lhe proporcionaram gerar a ideia de criar um Corpo de Cadetes que viesse a constituír a rectaguarda das forças combatentes, executando aquelas tarefas que não exigiam participação nos combates, como por exemplo a entrega de mensagens ou de géneros alimentícios entre as populações.
Sabendo como estavam a viver os jovens na sua Inglaterra distante, BP começou por escrever o  "Aids to Scouting"  para a formação dos seus soldados, mas depressa  fez publicar na imprensa londrina fascículos do similar dedicado à juventude, a que deu o título de "Scouting for Boys", que foi rápidamente adoptado pelas instituições escolares, pois viram naquelas ideias expostas nas páginas do jornal um modo de darem um sentido à vida dos jovens que lhes eram confiados.
Em pouco tempo o Escutismo começava a abrir as portas do êxito, pois começavam a organizar-se patrulhas de jovens em busca de um ideal de vida que os pudesse tornar em jovens cujo destino já não seria uma incógnita, mas sim cientes do seu valor enquanto pessoas capazes de ser arautos de um mundo novo, mais solidário, mais participativo, mais virado para Deus e para o Próximo.
Para isso passou a juventude a seguir um ideal em que havia uma Lei, havia Princípios e havia Compromisso de Honra, para além de estarem subordinados a uma Divisa simples mas eficaz: BE PREPARED  ou SEMPRE ALERTA. Quem está alerta está de algum modo preparado para a vida. Talvez por essa razão a Coroa inglesa manifestou ao herói de Mafeking o interesse em que ele dedicasse o seu tempo ao desenvolvimento do método escutista, o que BP fez com entusiasmo.
Não pretendo escrever mais uma biografia do Homem mais conhecido no mundo... e não digo depois de Cristo porque pareceria heresia, uma vez que Deus é intemporal e é tudo em todos, logo não há maior personalidade que esse Deus que se fez Homem... aí Jesus é o maior de todos os tempos, porquanto é apresentado sempre como Deus, que é,  e como Homem, que assumiu ser por amor aos Homens. No que concerne a BP,  a dimensão é apenas humana... e aí poderá ser considerado um Cidadão do Mundo em toda a plenitude.
O meu intuito é apenas estabelecer fronteiras entre o Escutismo/Escotismo  e o espírito e pensamento do Fundador, vogando no Tamisa dos tempos da Londres Victoriana até à  Londres onde pontifica Isabel II. 
Se o irei conseguir, amanhã se saberá, pois está nas mãos daqueles que aceitam o Escutismo como escola deformação integral dos jovens segundo o sistema legado por Lord Baden-Powell, contido na "Bíblia" do Escutismo que se chama ESCUTISMO PARA RAPAZES.
Boa Caça
O Lobo Esfaimado voltará ao tema.   CONTINUA. 

quinta-feira, 21 de abril de 2011

São Jorge... e o Escutismo

Esta Semana Maior é cheia de acontecimentos, pois o calendário encarregou-se de juntar eventos, qual deles o mais relevante, não fosse estarem incluídos no mesmo calendário a Páscoa do Senhor, o Dia de S. Jorge - Padroeiro universal do Escutismo, e... as comemorações da Revolução do 25 de Abril, data de amor ou ódio para muitos Portugueses, consoante a abordagem que se faça do assunto.

Como o Escutismo não é partidário, estamos livres de dores de cabeça quanto às comemorações que esta data nos possa suscitar.

Quando estava no "activo", o que não dava para ter a dita de uma agenda que me pudesse dar ensejo de programar uma actividade de tal modo abrangente que pudesse tornar-se num acontecimento emblemático para os rapazes e raparigas que andavam na pista das aventuras suscitadas pela genialidade do Fundador, quando pensou no Escutismo como método capaz de tornar os jovens pessoas mais felizes.

No entanto, pelo que leio nos jornais, jovens há que vão para uma actividade numa das "ilhas" do Tejo e têm de pedir socorro às entidades responsáveis por esta actividade, para que os tirem de apuros... porque uma actividade não planeada de forma capaz pode deitar por terra todas as hipóteses de êxito que a mesma poderia suscitar.

Podem atribuir-se culpas a A, B ou C, mas não é a atribuição de culpas que apaga a frustração por uma actividade mal conseguida. Há a tendência do "rapaz" começar a colocar dúvidas na sua capacidade de realização das tarefas que lhe sejam pedidas... porque as falhas podem voltar a acontecer. Importante é haver uma preparação cuidada das actividades, com interiorização das directivas que vão estar subjacentes à mesma, a verificação dos materiais que são passíveis de ser usados, os transportes e alternativas aos mesmos, com os horários respectivos, as ementas escolhidas...

Mas é fundamental que cada um esteja ciente do papel que lhe cabe no êxito da actividade, não sendo de somenos importância o conhecimento que se tenha do local escolhido para a mesma, que pode ser (e deve ser) objecto de várias visitas para esse fim, com recolha de dados que suportem completamente as actividades que ali se pretendam realizar, inclusivé as inopinadas que sejam suscitadas por motivos vários.

Para que é tanta conversa, perguntarão. É simples: Porque a 23 temos o São Jorge, a tradição da sua comemoração torna-se uma coisa lógica... e sei que muito boa gente está a pensar ter um São Jorge em grande! Coisas que a minha anilha do lenço me vai segredando!

Depois... a Páscoa do Divino Chefe não é apenas a data das amendoas e do folar! Não! É uma tradição cristã muito entranhada na alma das nossas gentes... não sendo curial que deixemos de comemorar a Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo... apenas porque temos cá o FMI e o País está em crise. É que crise pede união... união pede fraternidade... fraternidade pede darem-se as mãos... darem-se as mãos pede generosidade... generosidade é apanágio do verdadeiro Escuteiro, que não se coibe de prometer fazer todo o possível, mas faz sempre o impossível por fazer o outro mais feliz!

Nas terras onde há "Compasso", visita Pascal ou algo que a substitua, dá a tua mão ao Sacerdote, pergunta ao teu Assistente o que necessita que faças. Mostra aos outros o porquê de uma Farda que deve dar-te muito orgulho vestir.

Já quanto ao 25 de Abril... se te pedem ajuda, porque não?

"O ESCUTA ORGULHA-SE DA SUA FÉ, E POR ELA ORIENTA TODA A SUA VIDA"; "O ESCUTA É FILHO DE PORTUGAL E BOM CIDADÃO"; "O DEVER DO ESCUTA COMEÇA EM CASA"! Nunca o poderemos esquecer, porque esta é a alma do Escutismo!

Do vosso amigo "Lobo Esfaimado" recebam votos de Boa Caça.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

RESSUSCITOU!!! CRISTO VIVE!!!

Em cada Semana Santa que vamos contabilizando nas nossas vidas, por certo encontramos novos polos de interesse relacionados com a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, que se assumiu como nosso Cordeiro Pascal para que o Seu Precioso Sangue pudesse ser penhor de Salvação do Homem de todos os tempos, marcado pelo ferrete do Pecado Original, quando os nossos primeiros Pais desobedeceram a Deus e comeram do fruto proibido, ao serem tentados pela "serpente" no Paraíso.


Deus compadece-se do sofrimento de todo um Povo e manda o Seu Filho bem amado para que estabeleça um plano de Salvação e conceda ao Homem a Redenção desse pecado.


Jesus Cristo, o nosso Divino Chefe, faz-se Homem e andou pelo mundo a fazer o bem, a pregar a nova mensagem de esperança, consubstanciada numa Aliança entre Deus e os Homens.


No entanto, é entregue pela inveja dos Sacerdotes do Templo e feito padecer sobre o jugo de Pôncio Pilatos, que O entrega à morte... e MORTE DE CRUZ! Cumpriam-se assim as Escrituras... mas estas também nos dizem que CRISTO RESSUSCITOU! Sim! Ao terceiro dia, Cristo elevou-se do túmulo onde o Seu Corpo havia sido colocado, após a descida da Cruz!


CRISTO VIVE! RESSUSCITOU E DEU-NOS A POSSIBILIDADE DE PARTILHAR COM ELE A VIDA ETERNA JUNTO DO PAI CELESTE!


UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA PARA TODOS, COM DESEJOS ARDENTES DE QUE CRISTO TENHA RESSUSCITADO TODOS E CADA UM DE NÓS PARA UMA VIDA EM PLENITUDE!

sexta-feira, 18 de março de 2011

DIA DO PAI - Dia de São José

Amanhã é o Dia do Pai e de São José! Em muitos lados é também neste dia que se comemora o Dia do Trabalhador, tomando por exemplo S. José Operário. No Escutismo não há muito a tradição de comemorar este Santo, Pai adoptivo do Chefe Divino, Jesus Cristo.
Recordo que nos meus tempos de vida activa no Escutismo, cheguei a pertencer ao Agrupamento de São José Operário, o nº. 264 do CNE que existiu no Negage, em Angola.
Por tal motivo, era normal comemorar-se o Dia de São José e havia sempre boas actividades que se realizavam neste dia, sempre aguardado por todos... até por ser feriado Municipal, claro está.
O culto a São José terá começado no Egipto, passando tempos mais tarde para o Ocidente, onde hoje goza de grande popularidade. Em 1870, o Papa Pio IX proclamou-o como Padroeiro da Igreja Universal, passando desde essa altura a ter o seu dia a 19 de Março.
No decurso de 1955, o Santo Padre Pio XII fixou o dia 1º de Maio como Dia de São José Operário - o Trabalhador, mas a forte conotação política que está associada ao Dia Mundial do Trabalhador retirou alguma importância à comemoração religiosa, preferindo as populações continuar a respeitar o culto de S. José a 19 de Março.
É um Santo de grande importância no contexto da Igreja Católica, mas o nome não é muito citado dentro das fontes bibliográficas da Igreja, sendo apenas citado nos Evangelhos de São Lucas e São Mateus.
Era descendente do Rei David e exercia a profissão de carpinteiro na Galileia. Estava comprometido com Maria, que, segundo a tradição popular, era cortejada por muitos pretendentes, mas foi a José que a mão foi concedida.
Acredita-se que São José haja morrido quando Jesus perfez 30 anos, logo antes da crucificação de Cristo.
Muito mais haveria para dizer sobre o Guardião escolhido por Deus para velar pelo Seu Filho muito amado, Jesus Cristo.
Uma forte canhota e BOA CAÇA.
Lobo Esfaimado

domingo, 30 de janeiro de 2011

O "CHEFE" NO ESCUTISMO...

Em criança, ainda Lobito, ensinaram-me que "O Chefe tem de ser sempre respeitado!", ou então "O Chefe simboliza a Lei... e a Lei deve ser cumprida, 'DA MELHOR VONTADE', porque sem Lei não há organização e sem organização fracassamos!". Claro que estou a falar de um Escutismo de sessenta anos atrás, quando ainda eram as Catequeses Paroquiais, as aulas de Religião e Moral nos Liceus, ou os Agrupamentos de Escuteiros quem dava um pouco de sentido ético às vidas de cada um de nós... não que em nossas casas não nos fossem dadas as coordenadas de vida capazes de nos orientar na caminhada.
Aprendi desde muito cedo que o modelo de "Chefe" deve ser aquele que emana da figura de Cristo, o Divino Chefe, que conhece as Suas ovelhas e elas ouvem a Sua Voz e seguem-O, porque n'Ele confiam! Também deveria ser assim no Escutismo, de um modo absoluto, mas sem subserviências, nepotismos, exibicionismos e outros "ismos" de que por vezes enfermam as relações Adulto/Rapaz - ou Rapariga - no quotidiano da vida dos Agrupamentos.
É aqui que afirmo a necessidade de os Assistentes estarem Sempre Alerta e interagirem com as Chefias, sejam elas de Bando, Patrulha, Equipa, Alcateia, Grupos, Clã ou de Unidade a todos os níveis. É que o Chefe que não saiba descer ao nível do seu subordinado, dirigindo pela acção e pela razão, em vez de o fazer pela imposição e prepotência de métodos... está a fracassar na sua missão, deixando de ser um Dirigente credível e passando a ser alguém que se deseja longe de nós, porque não entendeu o que é educar pela acção, dirigir com o coração!
Na Oração do Escuta dizemos:
"SENHOR JESUS, ENSINAI-ME A SER GENEROSO, A SERVIR-VOS COMO VÓS O MERECEIS; A DAR-ME SEM MEDIDA; A COMBATER SEM CUIDAR DAS FERIDAS; A TRABALHAR SEM PROCURAR DESCANSO, A GASTAR-ME SEM ESPERAR OUTRA RECOMPENSA SENÃO SABER QUE FAÇO A VOSSA VONTADE SANTA".
O Dirigente consciente deve rezar com frequência ao Chefe Divino, pedindo-lhe que o ensine a conhecer os seus rapazes/raparigas como se fossem as ovelhas do redil do Bom Pastor, para que elas o sigam no caminho do bem, fiéis à Boa Acção de cada dia e ao espírito da Lei, da Promessa e dos Princípios.
Ser Escuteiro não é só acampar, fazer jogos, Fogos de Conselho, raides ou venda de calendários; não é estar sempre pronto para andar nas procissões ou nas festas da terra a passear uma farda ostentando mais ou menos insígnias de capacidade! Ser Escuteiro não é ser o melhor da nossa rua... até porque moramos num local isolado, nem é estar pronto para entregar sacos do Banco Alimentar Contra a Fome à entrada dos supermercados! Não! Ser Escuteiro é ser exemplo para a sociedade em que estamos inseridos, é ser o primeiro da nossa comunidade a estar "SEMPRE ALERTA PARA SERVIR", "...SEM ESPERAR OUTRA RECOMPENSA SENÃO SABER QUE FAÇO À VOSSA VONTADE SANTA".
O Chefe no Escutismo deve ser tudo isto e muito mais! O Chefe deve ser o primeiro em tudo aquilo que faz e não deve mandar fazer o que ele mesmo não sabe. Antigamente usava-se na boina ou no chapéu um "penacho" com a côr da Secção a que o Chefe pertencia, mas graças a Deus que foi abolido esse acessório, que levava a algumas tiradas menos simpáticas por parte de alguns detractores do Escutismo.
Tomemos por exemplo Jesus, o Divino Chefe, na certeza de que estaremos a tomar a opção certa... e o Escutismo agradece. Boa Caça, Irmãos!
Lobo Esfaimado