sexta-feira, 30 de outubro de 2009

UM ESCUTEIRO É.....

..."Um Escuteiro é alguém realmente livre para escolher tudo aquilo que o torna mais saudável de corpo e de espírito"
Ser Escuteiro não se trata de uma definição, mas de uma forma de se viver em plenitude, pois a condição de "ser Escuteiro" é muito mais do que o preenchimento dos nossos tempos livres, porque pressupõe o viver constante de uma Promessa que um dia se fez! Ser Escuteiro passa por se ACREDITAR que a primeira Pessoa a prometer algo de transcendente para o Homem universal foi Jesus Cristo, porque prometeu dar a Sua vida por nós! Foi esse mesmo Jesus que nos deixou como Mandamento: "Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei!"

O escuteiro é alguém que ama o próximo e sabe que esse próximo é seu irmão em Cristo e merece todo o seu esforço! Ser escuteiro deverá ser a melhor aventura que poderemos viver ao longo da nossa vida, mas sempre de acordo com a nossa Promessa... até que alcancemos a Terra Prometida, naquele dia em que, no Acampamento Eterno junto do Chefe Divino, passaremos a ser de facto Homens Novos!
Ser escuteiro é acreditar sempre de forma positiva... confiar que amanhã irá estar um ridente dia de sol, apesar da intempérie de hoje! Ser Escuteiro é permanecer acordado junto da fogueira, quando aquilo que mais nos apeteceria era poder dormir... Um Escuteiro sabe como acolher, como partilhar, sabendo perceber que depois de 100 anos de caminho, ainda agora começaram os desafios mais importantes, cuja constância alicia e nos dá forças para o caminho! Ser Escuteiro é viver na alegria de não ter morada permanente... ser Escuteiro será tudo aquilo que, no fundo, nos faz acreditar que a vontade e a amizade estão acima de tudo o mais!
Ser Escuteiro é saber estar SEMPRE ALERTA... PARA SERVIR Deus, a Igreja e a Pátria!
Um Escuteiro não é uma pessoa diferente das outras, morfológicamente falando, mas tem algumas características que o configuram como um ser diferente, porque:
* O Escuta tem sempre boa disposição de espírito; * O Escuta é útil; * O Escuta é sóbrio; * O Escuta é Leal; * O Escuta é respeitador; * O Escuta é bom cidadão; * O Escuta é obediente; * O Escuta é generoso; * O Escuta é puro nos pensamentos, palavras e acções.
Poderia ficar aqui a enaltecer tudo aquilo que o Escuteiro tem de diferente das outras pessoas, mas bastará dizer que o Escuteiro é alguém que vive segundo o espírito da Promessa, da Lei e dos Princípios, ciente de que o seu primeiro dever é a fidelidade para consigo próprio!
"O Amor pode não fazer girar o mundo mas tenho de admitir que faz a viagem valer a pena"
(Sean Connery)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

UM NOVO ANO ESCUTISTA...

Um dos momentos mais importantes da minha vida escutista foi o que aconteceu quando fiz a minha Promessa de Caminheiro, no princípio dos anos 60, no âmbito de um Acampamento Regional de Lisboa.
A passagem do Grupo ao Clã foi memorável e nessa cerimónia fui confrontado com a necessidade de escolher um "tóten" e uma divisa, que iriam ser a minha "marca" para toda a vida. No momento em que me "baptizaram" como o "Lobo Esfaimado", logo prometi a mim mesmo que faria bom uso da honraria desse "tóten" e escolhi por divisa "QUEM NÃO VIVE PARA SERVIR... NÃO SERVE PARA VIVER!".
O Assistente Nacional de então, o já falecido Padre João Ferreira, ao tempo também Capelão Chefe da Força Aérea, convidou-me então para integrar uma Equipa Nacional de Expansão, formada por Caminheiros que se encontravam em Lisboa por motivo de estudos ou do Serviço Militar. Essa Equipa de Expansão tinha por finalidade dar apoio nos programas de desenvolvimento e programação de actividades escutistas, pelo que muitas vezes fomos solicitados a participar em acções de propaganda local em algumas Paróquias onde se estava a implementar o Escutismo.
Quando o Agrupamento era finalmente reconhecido pela Junta Central e estava apto a aceitar a rapaziada que aspirava ser Escuteira, o nosso íntimo parecia que inchava pelo orgulho de termos contribuído com o nosso trabalho para a formação da novel Unidade.
Mas para lá chegar, tinha havido um trabalho de sapa em que todos foram importantes, pois cada um dos elementos da Equipa de Expansão estava "especializado" numa área de conhecimento escutista e fez todos os possíveis por SERVIR, em fidelidade ao lema dos Caminheiros! O ideal escutista era a pedra de toque que nos impulsionava para fazer cada vez melhor o trabalho que nos era imputado.
Lógico que também nos Nacionais era a Equipa solicitada para fazer parte do "staff" que tinha por missão organizar o acampamento. Ao regressar a casa, era possível dormir tranquilo, porque a nossa missão tinha sido integralmente cumprida, porque era uma satisfação sabermos que a nossa Promessa estava a ser cumprida, sem desvios à Lei e aos Princípios!
E no início de cada ano Escutista que se iniciava, lá estava a Equipa de Expansão da Junta Central do Corpo Nacional de Escutas pronta para novas e aliciantes "aventuras" que levassem ao aparecimento de novos Agrupamentos capazes de dar resposta à formação dos jovens segundo os métodos que Baden-Powell nos legou!
O Chefe D. José de Lencastre sempre se orgulhou do nosso trabalho em prol do CNE e nós sempre nos orgulhamos de um dia ter sido possível SERVIR DEUS, A IGREJA E A PÁTRIA através do Escutismo!