sexta-feira, 28 de agosto de 2009

LEMBRANDO...

Por vezes torna-se necessário recordar as coisas mais singelas da vida, como por exemplo...
Os dez artigos da Lei Escutista... ou Escoteira , como se queira:
(versão traduzida da original escrita por Banden-Powell, seguidos de breves observações feitas pelo próprio)
1. A Honra, para os Escuteiros, é ser digno de confiança.
"A Honra para um Escuteiro é ser digno de toda confiança. Para um Escuteiro, nenhuma tentação, por maior que seja, e embora seja secreta, irá persuadi-lo a praticar uma acção desonesta ou escusa, mesmo muito pequena. Não voltará atrás com uma promessa, uma vez feita. A palavra de um Escuteiro equivale a um contrato. Para um Escuteiro, a verdade, e nada mais que a verdade."
Baden-Powell
2. O Escuteiro é leal ao Rei, à sua pátria, aos seus escuteiros, aos seus pais, aos seus empregadores ou aos seus subordinados.
"O Escuteiro é leal à Pátria, à Igreja, às autoridades governamentais, aos seus pais, seus chefes, seus patrões e aos que trabalham como seus subordinados. Como bom cidadão, pertence a uma equipe, 'jogando o jogo' honestamente, para o bem do conjunto. Merece a confiança do governo da sua pátria, do Movimento Escutista, dos seus amigos e companheiros da Patrulha, dos seus patrões ou dos seus empregados, que esperam que seja correto, fazendo o melhor possível para benefício deles, ainda que eles não correspondam sempre bem àquilo que deles se espera. Além disso, o Escuteiro é leal também a si mesmo; não quer diminuir o respeito a si mesmo jogando mal de propósito; nem vai querer decepcionar ou ficar em falta com outro homem, nem, tampouco, com outra mulher."
Baden-Powell
3. O Dever para o Escuteiro é ser útil e ajudar o próximo.
"O dever do Escuteiro é ser útil e ajudar a todos. Como Escuteiro, o mais alto objetivo é servir. Deve merecer a confiança de que, em qualquer ocasião, estará pronto a sacrificar tempo, trabalho, ou, se necessário, a própria vida pelos demais. O sacrifício é o sal do serviço."
Baden-Powell
4. O Escuteiro é amigo de todos e irmão dos demais escuteiros, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer.
"É amigo ou irmão, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer. Como Escuteiro, reconhece as demais pessoas como sendo, com ele, filhos do mesmo Pai, e não faz caso das suas diferenças de opinião, casta, credo ou país, quaisquer que elas sejam. O Escuteiro domina os próprios preconceitos e procura encontrar as boas qualidades que tenham; o defeito deles qualquer um pode criticar. Quando se põe em prática esse amor pelas pessoas de outros países e se ajuda a fazer surgir a paz e a boa vontade internacionais, então teremos o Reino de Deus na terra. O mundo inteiro é uma fraternidade."
Baden-Powell
5. O Escuteiro é cortês.
"Como os antigos cavaleiros, o rapaz, porque é Escuteiro, será, sem dúvida, polido e atencioso com as mulheres, velhos e crianças. Mas, além disso, o Escuteiro é polido mesmo com aqueles que estão contra ele. Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem dar-se ao luxo de perdê-la."
Baden-Powell
6. O Escuteiro é amigo dos animais.
"O rapaz reconhecerá como companheiras as outras criaturas de Deus, postas, como ele, neste mundo, durante certo tempo, para gozar as suas existências. Maltratar um animal é, portanto, um desserviço ao Criador. Um Escuteiro deve ter um grande coração."
Baden-Powell
7. O Escuteiro obedece às ordens dos seus pais, do seu monitor ou do seu chefe escuteiro.
"O Escuteiro obedece, de boa vontade, sem vacilar, às ordens de seus pais, Monitores e Chefes. Como Escuteiro, o rapaz disciplina-se e põe-se, profunda e voluntariamente, às ordens das autoridades constituídas, para o bem geral. A comunidade mais feliz é a comunidade mais disciplinada; a disciplina, porém, deve vir do íntimo, e nunca ser imposta de fora. Por isso, tem um grande valor o exemplo que o Escuteiro der aos demais nesse sentido."
Baden-Powell
8. O Escuteiro sorri e assobia sobre todas dificuldades.
"Como Escuteiro o rapaz será visto como o homem que não perde a cabeça e que agüenta qualquer crise com ânimo alegre, coragem e optimismo."
Baden-Powell
9. O Escuteiro é econômico.
"Como Escuteiro, o rapaz olhará para o futuro e não irá dissipar tempo e dinheiro com prazeres do momento, mas, ao contrário, fará uso das oportunidades do momento tendo em vista o futuro sucesso. Ninguém fará isso com a idéia de não ser um ônus, mas uma ajuda para os demais."
Baden-Powell
10. O Escuteiro é limpo no pensamento, na palavra e na acção.
"O Escuteiro é limpo em pensamento, palavra e acção. Como Escuteiro, espera-se que o rapaz tenha não só uma mente limpa, como também uma vontade limpa; seja capaz de controlar quaisquer tendências intemperadas do sexo; dê um exemplo aos demais sendo puro, franco, honesto em tudo que pensa, diz ou faz."
Baden-Powell

Valores do Movimento Escutista, segundo a Organização Mundial do Escutismo:
Missão
- A missão do Escutismo é contribuir para a educação do jovem, através de um sistema de valores baseados na Promessa e na Lei Escutista, ajudando a construir um mundo melhor, onde se valorize a realização individual e a participação construtiva na sociedade.
Visão
- O Movimento Escutista é um movimento global que produz uma real contribuição para a criação de um mundo melhor.
Princípios do Escutismo
A Organização Mundial do Escutismo define como Princípios do Escutismo:
- Dever para com Deus (crença e vivência de uma fé, independentemente de qual seja);
- Dever para com os outros (participação na sociedade, boa acção, serviço ao próximo);
- Dever para consigo próprio (crescimento saudável e auto desenvolvimento
).

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O ESCUTISMO ESTÁ VIVO!!!

Pórtico do último Nacional
*
Foi num Conselho Nacional reunido extraordináriamente em 1980, em Ermesinde, que foi lançado um novo Sistema de Formação de Dirigentes, sendo Chefe Nacional do CNE o excelentíssimo Dirigente que foi o Chefe Velez da Costa, que estava com o mandato a terminar. Com a determinação que lhe era peculiar, ele e a sua equipa conseguiram levar o CNE para a revisão estatutária do Movimento, que terminou em 26 de Setembro de 1981, a que se seguiu a revisão geral do Regulamento do CNE, que veio a ser concluída nos primeiros dias de 1984, entrando em vigor a 1 de Março do mesmo ano. No ano seguinte , em 29 de Maio de 1982, uma representação dos Comités Mundial e Europeu deslocaram-se a Portugal, entregando ao CNE e à AEP, que recentemente haviam fundado e constituído a FEP - Federação Escutista de Portugal - , o competente diploma.
Assistiu-se também à realização do 16.° Acampamento Nacional em Setúbal, no ano de 1983, numa altura em que se davam os primeiros passos do acordo celebrado entre o CNE e o MSC - Movimento Scout Católico de Espanha -, após uma Cimeira Ibérica das duas associações. E tudo veio a ser merecedor duas prendas: a atribuíção da "Medalha de Bons Serviços Desportivos" e o reconhecimento do CNE - Escutismo Católico Português) como Instituição de Utilidade Pública, conforme Despacho de 20 de Julho de 1983 do Primeiro Ministro, publicado no Diário da República, II série, de 3 de Agosto de 1983 .
Os últimos quinze anos do CNE estão marcados por uma enorme expansão do Escutismo e um extraordinário aumento dos efectivos, em todo o continente e regiões autónomas.
Foram desenvolvidas novas áreas, como é exemplo a do ambiente, com a inauguração em 1988, do Centro Nacional de Formação Ambiental, em S. Jacinto - Aveiro, com toda a gama das mais diversas campanhas, onde se pode destacar a de "Um Milhão de Árvores". As campanhas como a do calendário escutista, a do seguro escuta, a da sede própria e outras, têm enriquecido o património do Corpo Nacional de Escutas. A nÍvel pedagógico deve dar-se especial realce para o aparecimento das metodologias educativas das quatro Secções, de livros, revistas, fichas e manuais.
Rover's, encontros e fóruns de caminheiros, expansão do Escutismo Marítimo, a forte sensibilização do Escutismo de integração, são pontos fortes na vida da associação.
Os últimos três Acampamentos Nacionais, como o de Bagunte em 1987, o do Palheirão em 1992, em que o governo atribuiu a Ordem de Mérito, como reconhecimento do CNE junto dos jovens Portugueses e o de Valado de Frades em 1997, constituíram pontos altos na vida da Associação e dos milhares e milhares de jovens participantes.
Como resultado destes eventos foi a presença maciça no Jamboree da Holanda em 1995 e do Moot na Suécia em 1996 que são bem o testemunho do grande desenvolvimento que ocorre a todos os níveis.
Seminários como o da Família em 1994 e o congresso "Valores e Missão" em 96/97, concretizam a forte maturidade e implantação do Escutismo Católico em toda a sociedade portuguesa.
A última palavra para a organização do CNE, com a publicação dos últimos estatutos, diversos regulamentos e regimentos e os mais diversos protocolos com destaque para os dos Países de Língua Oficial Portuguesa.
Mais recentes há muitas outras coisas para comemorar, como sendo o 1º. Centenário do primeiro acampamento Escutista na Ilha de Brownsea, em que Portugal esteve superiormente representado, mas também o Nacional em Idanha, a canonização de São Nuno de Santa Maria... etc...etc...etc.
O Escutismo em Portugal está vivo e recomenda-se!
Arraial...Arraial, por Santa Maria, São Jorge, São Nuno, São Paulo, São Francisco de Assis e Portugal!