segunda-feira, 20 de julho de 2009

DOIS MÉTODOS DE FORMAÇÃO

Quando recordo o Método Escutista criado por Baden-Powell, sei que estou a lembrar apenas e tão só aquele que é, reconhecidamente, o melhor movimento educacional para a educação integral da juventude.
Não teria nenhum interesse estar a recordar tal facto se não estivesse em causa o factor EDUCAÇÃO DA JUVENTUDE, pois são conhecidos vários métodos destinados aos jovens, mas nenhum conseguiu ter o impacto conseguido com o uso do "Escutismo para Rapazes", do "Manual do Lobito", do "Sistema de Patrulhas" ou do "Caminho do Triunfo".
No entanto sou levado a reconhecer "A Pedagogia Waldorf" como o maior movimento educacional independente no mundo. Foi este sistema proposto pelo filósofo social austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), após ter sido convidado por uma indústria alemã, a Waldorf-Astoria, a fundar uma escola para os filhos dos operários da fábrica, na cidade de Stuttgart.
Dessa forma nasceu em 1919, com essa primeira escola e quando ainda se vivenciava o fim da primeira guerra mundial, um novo conceito de educação, baseado no conhecimento profundo do desenvolvimento humano.
A tarefa proposta pela escola foi sendo assumida por centenas, milhares de pessoas que hoje trabalham nas escolas espalhadas pelo mundo inteiro. As escolas Waldorf formam, hoje, a rede independente que mais cresce no mundo. Reconhecida pela UNESCO, cada uma dessas escolas faz parte da cultura local do país, região ou cidade onde está inserida, mas todas têm um currículo comum, com propostas metodológicas que estimulam o entusiasmo pela aprendizagem e o desenvolvimento saudável da criança, que desafiam as faculdades críticas e de julgamento que não raro se manifestam mais fortemente a partir dos 12 anos.
A tarefa da educação Waldorf está no respeito à individualidade da criança, despertá-la, desenvolvê-la e incentivar o seu desabrochar. O professor, ao identificar os talentos e capacidades de cada criança, exercita o interesse perante as diferenças de cada um.
Espelhadas no atuar do adulto, as crianças preparam-se para uma sociedade multicultural, sem distinções sociais, religiosas ou nacionais.
Em pesquisas efectuadas na Grã-Bretanha aponta-se para o ambiente das escolas Waldorf como sendo aquele que apresenta a mais baixa incidência de alergias nas crianças, bem como o mais baixo índice de faltas escolares por doenças. Podem-se interpretar esses dados tanto pelo largo uso de medicina homeopática e/ou antroposófica entre as crianças, como pela alimentação rica em verduras e cereais integrais (que são estimulados na vida escolar) e pelas propostas de ensino.
Rudolf Steiner referia a pedagogia Waldorf como o alimento necessário para o bom desenvolvimento do querer (vontade), sentir e pensar da criança. A escola deve propiciar as vivências diárias que vão permitir à criança utilizar as forças do querer, do sentir e do pensar; não deixando nenhuma dessas represadas sem fluir no organismo.
Olhando aquilo que diz Steiner e revendo o que BP nos ensina, sou levado a concordar com um facto que se encontra por demais implícito nas duas metodologias de ensino: Ambas são viradas para a educação total do jovem... ambas são conducentes a uma necessidade de se dar à criança o sentido das coisas através do querer, do sentir e do pensar.
Logo, a pedagogia Waldorf nem sequer poderá ser considerada como uma forma de se dar outra dimensão ao Escutismo, porque poderá ser um método que surgiu para complementar outro, mas nunca será um substituto, apesar de todo o valor da pedagogia aludida.
O Escutismo visa a educação integral do jovem e a pedagogia Waldorf visa ser uma forma complementar na aplicação do método Escutista, porque este ainda não encontrou um substituto à altura.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

ACAMPAMENTO AMBIENTAL

Nos dias que passam, uma das palavras que mais se ouvem é "proteger o ambiente"... "fazer uso de métodos ecológicos na montagem dos nossos acampamentos"... "utilizar a separação de objectos passiveis de reciclagem" e tantas outras coisas que já deixaram de ser simples moda ou a preocupação de alguns jovens cabeludos, desses que usam óculos redondos e de ideias radicais e passaram a ser uma exigência consciente de uma sociedade que anseia por viver melhor, de um modo mais saudável e está atenta, pois em todo o mundo começou a existir uma consciência colectiva capaz de nos levar a exigir o ar mais puro, a água menos poluída, menos poluição sonora, uma arquitectura em que é notória a harmonia de linhas e correcta inserção na paisaigem, imperando o bom gosto e o conforto, cores não agressivas... em suma: UMA VERDADEIRA APOSTA NA QUALIDADE DE VIDA... que deve ser preocupação do Escuteiro.
De facto, o Escutismo pode considerar-se o mais antigo movimento de defesa ambiental, pois foi o próprio Fundador, Baden-Powell, quem se propõe incluir no Escutismo uma Lei em que é fundamental respeitarem-se as plantas e os animais (Artigo 6º. da Lei do Escuteiro: O ESCUTEIRO PROTEGE AS PLANTAS E OS ANIMAIS), mesmo que naquele tempo a defesa do ambiente ainda fizesse pouco sentido. A conservação do ambiente tem hoje um campo de acção muito vasto, estando a ser realizada uma tremenda luta que permita salvar o planeta terra, sendo esta luta menos amadora e mais científica, menos poética e mais jurídica.
O que se pretende com aquilo que se escreve? Apenas e tão só deixar um "ALERTA" para alguns dos erros que se vão cometendo, muitas vezes, quando vamos acampar... e agora é chegado o tempo dos grandes acampamentos de Verão.
Baden-Powell sempre alertou para a necessidade de se "deixar o local de acampamento melhor do que o encontraste", pelo que vamos deixar aqui algumas sugestões e cuidados a ter para a protecção ambiental nos acampamentos.
Ao chegares ao local do acampamento...nunca arranques a vegetação que por lá exista, pois se o fizeres estarás a contribuir para que, por causa da utilização contínua, a erosão depressa torne o campo num local onde se tornará impossível voltar a acampar.
O que será bom é limpares o local do teu acampamento, retirando os paus e as pedras que nele encontrares.
Ao proceder à montagem do campo... não pregues nem espetes nada nas árvores, pois se o fizeres vais danificar os canais condutores da seiva da árvore... e isso, quando menos esperas, acabara por matar a árvore. O que deves é usar uma espia e com ela seguras aquilo que quiseres.
... nunca faças regos em volta da tenda, pois ao fazê-los estarás a destruir a camada de "manta morta" (humus), causando graves danos no sistema radicular da vegetação existente. Sendo imprescindível fazer regos para escoar as águas das chuvas - se a tenda não é impermeável...por exemplo - fá-los então de um tamanho reduzido e com pouca profundidade.
Para as construções de campo... nunca cortes nenhuma árvore, pois quando o fazes estás a desperdiçar e a danificar os recursos florestais existentes. Posso lembrar-te que "uma árvore é uma vida". Deves reduz as construções a um mínimo possível, usando algumas madeiras de troncos caídos... e tenta que as construções fiquem apoiadas nas árvores, pois assim reduzirás a madeira para as construções.
... não desperdices a água, pois esta é um recurso natural de elevada importância e já está bastante limitado. Utiliza a água com método e parcimónia, evitando deste modo um consumo elevado de um bem tão precioso.

... na lavagem da loiça ou da roupa, nunca utilizes detergentes que não sejam biodegradáveis . Se usares estes produtos estarás a contribuir para uma contaminação dos lençóis de água existentes no subsolo. Lava a loiça ou a roupa utilizando sempre detergentes biodegradáveis, pois são menos poluentes.
No teu dia-a-dia no acampamento procura não deitares nada para o chão. Se o fizeres estarás a destruir a floresta, poluindo-a. Utiliza sacos para recolha e tranporte dos lixos para um local onde façam a sua recolha, quando terminar o acampamento. Dentro do possível, deves separar esses lixos por tipos.

... nunca grites com os teus companheiros nem utilizes rádios, porque se o fazes não poderás disfrutar do "silêncio" que a vida no campo te pode oferecer...e estará a perturbar o "habitat natural" onde te encontras.

Se cumprires com estes simples princípios, podes ter a certeza de que o teu acampamento de verão irá decorrer de uma forma de que te irás orgulhar!
É que o bom Escuteiro faz coisas boas por bons motivos ... e até nem precisa que lhe lembrem a Lei! Basta-lhe ser consciente!