quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

SAUDAMOS O NOVO ANO...

...E PEDIMOS AO DIVINO CHEFE QUE NOS ILUMINE COM A SUA LUZ!PARA TODOS OS QUE SE SENTEM IRMANADOS
NO IDEAL DE BADEN-POWELL!
UM 2010 PLENO DE REALIZAÇÕES!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

A TODO O MUNDO ESCUTA, GUIA OU ESCOTEIRO



Que o Menino Deus nos traga toda a Alegria, Felicidades e Amor, necessários para ajudar a construír o tal mundo melhor a que Baden-Powell sempre aludia!
Aos Irmãos Escutas em qualquer parte do mundo:
+
Paz e Bem!Boa Caça! Boas Festas! Bom Escutismo, com muitas Boas Acções no vosso saco de raid's !!!
.
Feliz Natal e um Feliz Ano
+
de 2010!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

VAMOS "FAZER" NATAL...???

Quando começa o Advento, começa toda uma azáfama nos Agrupamentos do CNE ou nos Grupos da AEP - e nas Guias de Portugal ou nos Escuteiros da Europa, porque não? - visando um planeamento de actividades de Natal, sendo posto em relevo o valor da Boa Acção escutista como uma forma de os elementos fazerem algo de grande no seu Advento, porque o nascimento do Deus Menino está mesmo aí e é tempo de mostrar que "o Escuteiro é útil e pratica diáriamente uma Boa Acção" , não porque seja uma norma "obrigatória" que até está escrita como sendo o 3º. Artigo da Lei, mas fundamentalmente porque o Escuteiro sente o apelo do Natal como uma data para ser generoso e fazer o bem, sem esperar outra recompensa senão saber que faz a vontade do Chefe Divino, que está nos céus!E quando chega o Natal, todos nós, que estamos tocados pelo espírito do tal artº. 3º. da Lei mas temos uma cabeça para pensar e gostamos de partilhar com o nosso próximo, sentimos que o Natal não são as histórias de um velho de barbas brancas imbuído do espírito da época, a quem chamam de "Pai Natal" e a quem é atribuído o mérito de tornar felizes as crianças bem comportadas, trazendo-lhes presentes, de uma árvore feéricamente iluminada, cheias de fantasias de mil cores, a que chamam "Árvore de Natal", mas sim aquele singelo Menino que nos foi enviado pelo Pai do Céu para salvação da humanidade e que quiz nasceu na humildade de um presépio, ladeado por animais e deitado numas simples palhinhas colocadas numa manjedoura!
Sim! O Natal é o nascimento do Deus Menino, o nosso irmão que se quiz fazer homem para salvação do género humano! É dele que falava o Profeta , ao profetizar : "A Virgem conceberá e dará à luz um Filho, que será chamado 'Emanuel', que quer dizer 'Deus connosco'. "

terça-feira, 24 de novembro de 2009

VAMOS FALAR DE ESCUTISMO? DE MOCIDADE?


Por vezes acho piada quando se pretende comparar o Escutismo à Mocidade Portuguesa, porque me dá algumas pistas reveladoras do carácter de quem compara e a certeza de que estão a agir de má fé, porque nem sequer procuraram documentar-se sobre o que é a realidade chamada Escutismo Mundial e a defunta Mocidade do Estado Novo português.
Ainda não compreendi bem porque se arrogam alguns ilustres participantes nas campanhas de má língua contra o Escutismo em tentar encontrar paralelismo entre uma e outra realidade... até porque muitos falam apenas por falar, porque nunca pertenceram nem a um nem a outro organismo, logo não sabem sequer daquilo que falam.
O Escutismo é um Movimento mundial de educação integral da juventude segundo o método criado por Lord Baden-Powell of Gilwell, ilustre General britânico que foi herói, pedagogo, cidadão do mundo e patriota. A Mocidade Portuguesa era uma organização nacional de juventude, que também visava a educação desta, mas segundo os métodos usados pelas juventudes hitleriana ou franquista, no dizer de uns, ou inspirada nos ensinamentos do fundador do Escutismo, segundo outros.
Mas não vamos aqui dissecar um ou outro Movimento, porque o Escutismo não se discute: VIVE-SE! Quanto à Mocidade, talvez o facto de o Governo de então pretender substituír o Escutismo pelo Mocidade possa dar uma ideia da inspiração... se bem que a favor do Governo, claro está!
Enquanto o Escutismo vive da acção do rapaz, alma mater do Movimento, dando-lhe desde sempre a noção de que o célebre 11º. artigo da Lei é "O ESCUTA NUNCA SE ENSARILHOCA", isto para dizer que sorri perante as dificuldades e procura soluções para as carências do quotidiano, enquanto na Mocidade se vivia do poderio do Estado, porque este dava todo o apoio às Alas do Mocidade através das Unidades Militares. E foi talvez por isso que alguns jovens puderam servir a Pátria em África pilotando aviões... porque a Mocidade dava a possibilidade de se tirar o "brevet" de piloto.
Também o Escutismo terá tido os seus "rabos de palha", porque alguns dos seus Chefes, Dirigentes ou como lhes queiram chamar, não encararam o sentido da divisa "SERVIR" com a devida seriedade e foram permitindo, deste modo, que os detractores pudessem encontrar alguns argumentos para se apontar o dedo ao Movimento, falarem da infantilidade da farda e mais aquilo que lhes possa dar na gana... mesmo que estes sejam uma excepção, felizmente.
Nós, Escuteiros, somos herdeiros de valores que nos outorgam o título de herdeiros da ESCOLA PARA A VIDA em plenitude. Pertencemos a um movimento Mundial e temos consciência de que a maioria dos países do mundo fazem gala em ter pelo menos uma associação escutista, até pelo prestígio que foi alcançado em tudo o mundo pelo Método implementado por B.P. naquele verão de 1907 na Ilha de Bronwsea, quando reuniu um grupo de rapazes e lhes deu as primeiras noções da vida de um Escuteiro!
Se essa Associação está ligada a uma religião ou não, não interessa, porque o que interessará é não haver conotações políticas! Importa à partida que qualquer pessoa possa vir a ser Escuteiro e não se importe de ser mais um daqueles de quem se possa dizer ser "UM RAPAZITO VESTIDO À HOMEM COMANDADO POR UM HOMEM VESTIDO DE RAPAZITO", que o mesmo será dizer ser "um rapazito vestido de parvo... chefiado por um parvo vestido de rapazito". Aquele que quer ser Escuteiro não terá repugnância em vestir uma farda esquisita, que aprenderá a respeitar e envergar com orgulho, tal como aprende a espeitar os valores do Escutismo.
Mas continuarei sempre a dizer: não se pense que vestir a farda de Escuteiro torna o rapaz - ou rapariga - um exemplo de virtudes! Não! O Escuteiro é um ser humano como qualquer outro, sujeito a ser criticado na primeira oportunidade... porque também erra! Mas são homens e mulheres, rapazes e raparigas que acreditam poder ajudar a construir um mundo melhor... que têm um ideal de vida e para quem o Escutismo é um estado de espírito!
ESTES SÃO ESCUTEIROS, SEM DÚVIDAS !!!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

São Nuno de Santa Maria... ...o Santo Condestável

Hoje, dia 06 de Novembro, é dia de São Nuno de Santa Maria!
É o dia em que recordamos a memória do Santo que foi Condestável do rei de Portugal, o Comandante supremo do exército e seu guia vitorioso, o fundador e benfeitor da comunidade carmelita, que ao entrar no convento recusa todos os privilégios e assume como própria a condição mais humilde, a de frade Donato, dedicando-se totalmente ao serviço do Senhor, de Maria —a sua terna Padroeira que sempre venerou—, e dos pobres, nos quais reconhece o rosto de Jesus.
Significativo foi o dia da morte de frei Nuno de Santa Maria, o domingo de Páscoa, 1 de Abril de 1431, pois passou imediatamente a ser reputado de “santo” pelo povo, que desde então começou a chamar-lhe o “Santo Condestável”.
Mas, embora a fama de santidade de Nuno se mantenha constante, chegando mesmo a aumentar, ao longo dos tempos, o percurso do seu processo de canonização será bem mais acidentado.
Promovido desde logo pelos soberanos portugueses e prosseguido pela Ordem do Carmo, deparou com numerosos obstáculos, de natureza exterior, sendo sómente em 1894 que o então postulador geral dos Carmelitas, Pe. Anastasio Ronci, conseguiu introduzir o processo para o reconhecimento do culto do Beato Nuno “desde tempos imemoriais”, acabando este por ser concluído, felizmente, apesar das dificuldades próprias do tempo em que decorreu, no dia 23 de Dezembro de 1918, pelo decreto "Clementissimus Deus", do Papa Bento XV.
As relíquias de São Nuno foram trasladadas numerosas vezes do sepulcro original para a Igreja do Carmo, até que, em 1961, por ocasião do sexto centenário do nascimento do Santo, foi organizada uma peregrinação do precioso relicário em prata que as continha; mas pouco tempo depois este foi roubado e nunca mais foram encontradas as relíquias que contivera, pelo que foram depostos, em vez delas, alguns ossos que haviam sido conservados noutro lugar.
A descoberta, em 1966, do lugar do túmulo primitivo, que continha alguns fragmentos de ossos compatíveis com as relíquias conhecidas, reacendeu o desejo de ver o Beato Nuno proclamado em breve como Santo da Igreja... e isso aconteceu, porquanto... tendo sido levadas a cabo as respectivas investigações, o Santo Padre, o Papa Bento XVI, dispôs a 3 de Julho de 2008 a promulgação do decreto sobre o milagre em ordem à canonização, e durante o Consistório de 21 de Fevereiro de 2009 determinou que o Beato Nuno fosse inscrito no álbum dos Santos no dia 26 de Abril de 2009.
O Escutismo Católico Português, que já venerava o Beato Nuno Álvares e o tinha como um dos seus Patronos, tem agora mais um Santo para proteger os Escutas do Corpo Nacional de Escutas e da Fraternidade!
"Arraial, Arraial, por Nossa Senhora, Mãe do Escuta, São Jorge, São Paulo, São Nuno, CNE e Portugal! Arraial, Arraial!"

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O DIA DE FIÉIS DEFUNTOS

Neste dia não iremos esquecer todos os nossos Irmãos , que viveram o seu ideal segundo o espírito do Fundador, Lord Baden-Powell, caminhando pela vida na esperança de um dia serem admitidos no Eterno Acampamento, junto do Chefe Divino e da Santa Mãe dos Escutas, Nossa Senhora!
Na grande pista da vida, permita o Divino Chefe que o nosso "fim-de-pista" tenha em vista conseguir alcançar o grande desiderato da Vida Eterna em plenitude.

domingo, 1 de novembro de 2009

O DIA DE TODOS OS SANTOS

"EXULTEMOS DE ALEGRIA NO SENHOR, CELEBRANDO ESTE DIA DE FESTA EM HONRA DE TODOS OS SANTOS. NESTA SOLENIDADE, ALEGRAM-SE OS ANJOS E CANTAM LOUVORES AO FILHO DE DEUS."

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

UM ESCUTEIRO É.....

..."Um Escuteiro é alguém realmente livre para escolher tudo aquilo que o torna mais saudável de corpo e de espírito"
Ser Escuteiro não se trata de uma definição, mas de uma forma de se viver em plenitude, pois a condição de "ser Escuteiro" é muito mais do que o preenchimento dos nossos tempos livres, porque pressupõe o viver constante de uma Promessa que um dia se fez! Ser Escuteiro passa por se ACREDITAR que a primeira Pessoa a prometer algo de transcendente para o Homem universal foi Jesus Cristo, porque prometeu dar a Sua vida por nós! Foi esse mesmo Jesus que nos deixou como Mandamento: "Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei!"

O escuteiro é alguém que ama o próximo e sabe que esse próximo é seu irmão em Cristo e merece todo o seu esforço! Ser escuteiro deverá ser a melhor aventura que poderemos viver ao longo da nossa vida, mas sempre de acordo com a nossa Promessa... até que alcancemos a Terra Prometida, naquele dia em que, no Acampamento Eterno junto do Chefe Divino, passaremos a ser de facto Homens Novos!
Ser escuteiro é acreditar sempre de forma positiva... confiar que amanhã irá estar um ridente dia de sol, apesar da intempérie de hoje! Ser Escuteiro é permanecer acordado junto da fogueira, quando aquilo que mais nos apeteceria era poder dormir... Um Escuteiro sabe como acolher, como partilhar, sabendo perceber que depois de 100 anos de caminho, ainda agora começaram os desafios mais importantes, cuja constância alicia e nos dá forças para o caminho! Ser Escuteiro é viver na alegria de não ter morada permanente... ser Escuteiro será tudo aquilo que, no fundo, nos faz acreditar que a vontade e a amizade estão acima de tudo o mais!
Ser Escuteiro é saber estar SEMPRE ALERTA... PARA SERVIR Deus, a Igreja e a Pátria!
Um Escuteiro não é uma pessoa diferente das outras, morfológicamente falando, mas tem algumas características que o configuram como um ser diferente, porque:
* O Escuta tem sempre boa disposição de espírito; * O Escuta é útil; * O Escuta é sóbrio; * O Escuta é Leal; * O Escuta é respeitador; * O Escuta é bom cidadão; * O Escuta é obediente; * O Escuta é generoso; * O Escuta é puro nos pensamentos, palavras e acções.
Poderia ficar aqui a enaltecer tudo aquilo que o Escuteiro tem de diferente das outras pessoas, mas bastará dizer que o Escuteiro é alguém que vive segundo o espírito da Promessa, da Lei e dos Princípios, ciente de que o seu primeiro dever é a fidelidade para consigo próprio!
"O Amor pode não fazer girar o mundo mas tenho de admitir que faz a viagem valer a pena"
(Sean Connery)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

UM NOVO ANO ESCUTISTA...

Um dos momentos mais importantes da minha vida escutista foi o que aconteceu quando fiz a minha Promessa de Caminheiro, no princípio dos anos 60, no âmbito de um Acampamento Regional de Lisboa.
A passagem do Grupo ao Clã foi memorável e nessa cerimónia fui confrontado com a necessidade de escolher um "tóten" e uma divisa, que iriam ser a minha "marca" para toda a vida. No momento em que me "baptizaram" como o "Lobo Esfaimado", logo prometi a mim mesmo que faria bom uso da honraria desse "tóten" e escolhi por divisa "QUEM NÃO VIVE PARA SERVIR... NÃO SERVE PARA VIVER!".
O Assistente Nacional de então, o já falecido Padre João Ferreira, ao tempo também Capelão Chefe da Força Aérea, convidou-me então para integrar uma Equipa Nacional de Expansão, formada por Caminheiros que se encontravam em Lisboa por motivo de estudos ou do Serviço Militar. Essa Equipa de Expansão tinha por finalidade dar apoio nos programas de desenvolvimento e programação de actividades escutistas, pelo que muitas vezes fomos solicitados a participar em acções de propaganda local em algumas Paróquias onde se estava a implementar o Escutismo.
Quando o Agrupamento era finalmente reconhecido pela Junta Central e estava apto a aceitar a rapaziada que aspirava ser Escuteira, o nosso íntimo parecia que inchava pelo orgulho de termos contribuído com o nosso trabalho para a formação da novel Unidade.
Mas para lá chegar, tinha havido um trabalho de sapa em que todos foram importantes, pois cada um dos elementos da Equipa de Expansão estava "especializado" numa área de conhecimento escutista e fez todos os possíveis por SERVIR, em fidelidade ao lema dos Caminheiros! O ideal escutista era a pedra de toque que nos impulsionava para fazer cada vez melhor o trabalho que nos era imputado.
Lógico que também nos Nacionais era a Equipa solicitada para fazer parte do "staff" que tinha por missão organizar o acampamento. Ao regressar a casa, era possível dormir tranquilo, porque a nossa missão tinha sido integralmente cumprida, porque era uma satisfação sabermos que a nossa Promessa estava a ser cumprida, sem desvios à Lei e aos Princípios!
E no início de cada ano Escutista que se iniciava, lá estava a Equipa de Expansão da Junta Central do Corpo Nacional de Escutas pronta para novas e aliciantes "aventuras" que levassem ao aparecimento de novos Agrupamentos capazes de dar resposta à formação dos jovens segundo os métodos que Baden-Powell nos legou!
O Chefe D. José de Lencastre sempre se orgulhou do nosso trabalho em prol do CNE e nós sempre nos orgulhamos de um dia ter sido possível SERVIR DEUS, A IGREJA E A PÁTRIA através do Escutismo!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

BADEN-POWELL E O CHIFRE DE KUDU

O Chifre de Kudu e os Matabeles O kudu é um dos maiores e belos antilopes da ÁFrica. Ele é também a origem de uma obscura tradição no Escutismo: por todo o mundo, os elegantes chifres espiralados do kudu, ôcos, são usados como um instrumento de sopro, uma corneta, por exemplo, para se fazerem as chamadas nos acampamentos escutistas ou nos cursos de formação de escuteiros.
Em 1890, Baden-Powell lutou na Campanha dos Matabele, onde hoje se situa o Zimbabwe. Os guerreiros Matabele tinham um método único de sinalização militar, usando uma nota profunda emitida com auxílio de um chifre de kudu para enviar sinais codificados a longas distâncias. No final da campanha, B.P. levou um desses chifres para casa, como um troféu - o chifre tinha pertencido ao Chefe Matabele Siginyamatshe.
No acampamento da Ilha de Brownsea, em 1907, os primeiros Escuteiros eram despertados, todas as manhãs, pelo som do chifre de kudu que Baden-Powell resolvera levar para o campo, tal como fizera com alguns dos seus outros trofeus militares favoritos, porque pretendia com eles inspirar os rapazes acampados.

O Fundador era um verdadeiro mestre na arte de contar histórias, pelo que não perdia nenhuma chance de contar os feitos pelos quais ele se tornara famoso.
Foi o Acampamento de Brownsea que marcou o nascimento do Movimento Escutista. Mais tarde Baden-Powell ofereceu o seu chifre de kudu ao novo chefe de campo de Gilwell Park, que se situa nos arredores de Londres e é o santuário da formação de Chefes Escutas por excelência .
Em 1929, no 21º aniversário do Escutismo, foi realizado o Jamboree Mundial em Arrowe Park (Inglaterra). Baden-Powell usou o mesmo chifre de kudu para fazer a chamada de todos os participantes desse Jamboree.
Seguindo uma tradição que remonta há 90 anos, as patrulhas são chamadas a reunir com o toque tradicional do chifre de kudu, durante os cursos da Insígnia de Madeira.
O kudu (Tregelaphus strepsiceros) é uma espécie de antílope cujo habitat vai desde a África do Sul á Etiópia. Um touro Kudu pode chegar a uma altura de 1,5 metros e tem uma coloração que vai de um cinzento avermelhado até quase azul. As suas características de visão aguçada, bom sentido de audição, olfacto apurado e grande velocidade fazem dele um animal difícil de capturar.
Pode parecer estranho que o chifre de um antílope africano, do tipo usado pelos Matabeles como clarim de guerra no século XIX, seja usado para chamar Escuteiros e Chefes por esse mundo fora. John Thurman, grande nome do Escutismo britânico, conta como BP conheceu o chifre de kudu:

"Como coronel em África, em 1896, Baden-Powell comandou uma coluna militar na Campanha Matabele. Foi num raid pelo rio Shangani abaixo que ele primeiro ouviu o som do chifre de kudu. Ele andava confundido pela rapidez com que os alarmes eram espalhados entre os Matabeles, até que um dia se apercebeu que eles usavam o chifre de kudu, o qual tinha uma grande potência sonora. Era usado um código. Assim que o inimigo era avistado, o alarme era tocado no kudu, para todos os lados, e assim transmitido por muitas milhas em pouco tempo."

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

LEMBRANDO...

Por vezes torna-se necessário recordar as coisas mais singelas da vida, como por exemplo...
Os dez artigos da Lei Escutista... ou Escoteira , como se queira:
(versão traduzida da original escrita por Banden-Powell, seguidos de breves observações feitas pelo próprio)
1. A Honra, para os Escuteiros, é ser digno de confiança.
"A Honra para um Escuteiro é ser digno de toda confiança. Para um Escuteiro, nenhuma tentação, por maior que seja, e embora seja secreta, irá persuadi-lo a praticar uma acção desonesta ou escusa, mesmo muito pequena. Não voltará atrás com uma promessa, uma vez feita. A palavra de um Escuteiro equivale a um contrato. Para um Escuteiro, a verdade, e nada mais que a verdade."
Baden-Powell
2. O Escuteiro é leal ao Rei, à sua pátria, aos seus escuteiros, aos seus pais, aos seus empregadores ou aos seus subordinados.
"O Escuteiro é leal à Pátria, à Igreja, às autoridades governamentais, aos seus pais, seus chefes, seus patrões e aos que trabalham como seus subordinados. Como bom cidadão, pertence a uma equipe, 'jogando o jogo' honestamente, para o bem do conjunto. Merece a confiança do governo da sua pátria, do Movimento Escutista, dos seus amigos e companheiros da Patrulha, dos seus patrões ou dos seus empregados, que esperam que seja correto, fazendo o melhor possível para benefício deles, ainda que eles não correspondam sempre bem àquilo que deles se espera. Além disso, o Escuteiro é leal também a si mesmo; não quer diminuir o respeito a si mesmo jogando mal de propósito; nem vai querer decepcionar ou ficar em falta com outro homem, nem, tampouco, com outra mulher."
Baden-Powell
3. O Dever para o Escuteiro é ser útil e ajudar o próximo.
"O dever do Escuteiro é ser útil e ajudar a todos. Como Escuteiro, o mais alto objetivo é servir. Deve merecer a confiança de que, em qualquer ocasião, estará pronto a sacrificar tempo, trabalho, ou, se necessário, a própria vida pelos demais. O sacrifício é o sal do serviço."
Baden-Powell
4. O Escuteiro é amigo de todos e irmão dos demais escuteiros, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer.
"É amigo ou irmão, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer. Como Escuteiro, reconhece as demais pessoas como sendo, com ele, filhos do mesmo Pai, e não faz caso das suas diferenças de opinião, casta, credo ou país, quaisquer que elas sejam. O Escuteiro domina os próprios preconceitos e procura encontrar as boas qualidades que tenham; o defeito deles qualquer um pode criticar. Quando se põe em prática esse amor pelas pessoas de outros países e se ajuda a fazer surgir a paz e a boa vontade internacionais, então teremos o Reino de Deus na terra. O mundo inteiro é uma fraternidade."
Baden-Powell
5. O Escuteiro é cortês.
"Como os antigos cavaleiros, o rapaz, porque é Escuteiro, será, sem dúvida, polido e atencioso com as mulheres, velhos e crianças. Mas, além disso, o Escuteiro é polido mesmo com aqueles que estão contra ele. Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem dar-se ao luxo de perdê-la."
Baden-Powell
6. O Escuteiro é amigo dos animais.
"O rapaz reconhecerá como companheiras as outras criaturas de Deus, postas, como ele, neste mundo, durante certo tempo, para gozar as suas existências. Maltratar um animal é, portanto, um desserviço ao Criador. Um Escuteiro deve ter um grande coração."
Baden-Powell
7. O Escuteiro obedece às ordens dos seus pais, do seu monitor ou do seu chefe escuteiro.
"O Escuteiro obedece, de boa vontade, sem vacilar, às ordens de seus pais, Monitores e Chefes. Como Escuteiro, o rapaz disciplina-se e põe-se, profunda e voluntariamente, às ordens das autoridades constituídas, para o bem geral. A comunidade mais feliz é a comunidade mais disciplinada; a disciplina, porém, deve vir do íntimo, e nunca ser imposta de fora. Por isso, tem um grande valor o exemplo que o Escuteiro der aos demais nesse sentido."
Baden-Powell
8. O Escuteiro sorri e assobia sobre todas dificuldades.
"Como Escuteiro o rapaz será visto como o homem que não perde a cabeça e que agüenta qualquer crise com ânimo alegre, coragem e optimismo."
Baden-Powell
9. O Escuteiro é econômico.
"Como Escuteiro, o rapaz olhará para o futuro e não irá dissipar tempo e dinheiro com prazeres do momento, mas, ao contrário, fará uso das oportunidades do momento tendo em vista o futuro sucesso. Ninguém fará isso com a idéia de não ser um ônus, mas uma ajuda para os demais."
Baden-Powell
10. O Escuteiro é limpo no pensamento, na palavra e na acção.
"O Escuteiro é limpo em pensamento, palavra e acção. Como Escuteiro, espera-se que o rapaz tenha não só uma mente limpa, como também uma vontade limpa; seja capaz de controlar quaisquer tendências intemperadas do sexo; dê um exemplo aos demais sendo puro, franco, honesto em tudo que pensa, diz ou faz."
Baden-Powell

Valores do Movimento Escutista, segundo a Organização Mundial do Escutismo:
Missão
- A missão do Escutismo é contribuir para a educação do jovem, através de um sistema de valores baseados na Promessa e na Lei Escutista, ajudando a construir um mundo melhor, onde se valorize a realização individual e a participação construtiva na sociedade.
Visão
- O Movimento Escutista é um movimento global que produz uma real contribuição para a criação de um mundo melhor.
Princípios do Escutismo
A Organização Mundial do Escutismo define como Princípios do Escutismo:
- Dever para com Deus (crença e vivência de uma fé, independentemente de qual seja);
- Dever para com os outros (participação na sociedade, boa acção, serviço ao próximo);
- Dever para consigo próprio (crescimento saudável e auto desenvolvimento
).

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O ESCUTISMO ESTÁ VIVO!!!

Pórtico do último Nacional
*
Foi num Conselho Nacional reunido extraordináriamente em 1980, em Ermesinde, que foi lançado um novo Sistema de Formação de Dirigentes, sendo Chefe Nacional do CNE o excelentíssimo Dirigente que foi o Chefe Velez da Costa, que estava com o mandato a terminar. Com a determinação que lhe era peculiar, ele e a sua equipa conseguiram levar o CNE para a revisão estatutária do Movimento, que terminou em 26 de Setembro de 1981, a que se seguiu a revisão geral do Regulamento do CNE, que veio a ser concluída nos primeiros dias de 1984, entrando em vigor a 1 de Março do mesmo ano. No ano seguinte , em 29 de Maio de 1982, uma representação dos Comités Mundial e Europeu deslocaram-se a Portugal, entregando ao CNE e à AEP, que recentemente haviam fundado e constituído a FEP - Federação Escutista de Portugal - , o competente diploma.
Assistiu-se também à realização do 16.° Acampamento Nacional em Setúbal, no ano de 1983, numa altura em que se davam os primeiros passos do acordo celebrado entre o CNE e o MSC - Movimento Scout Católico de Espanha -, após uma Cimeira Ibérica das duas associações. E tudo veio a ser merecedor duas prendas: a atribuíção da "Medalha de Bons Serviços Desportivos" e o reconhecimento do CNE - Escutismo Católico Português) como Instituição de Utilidade Pública, conforme Despacho de 20 de Julho de 1983 do Primeiro Ministro, publicado no Diário da República, II série, de 3 de Agosto de 1983 .
Os últimos quinze anos do CNE estão marcados por uma enorme expansão do Escutismo e um extraordinário aumento dos efectivos, em todo o continente e regiões autónomas.
Foram desenvolvidas novas áreas, como é exemplo a do ambiente, com a inauguração em 1988, do Centro Nacional de Formação Ambiental, em S. Jacinto - Aveiro, com toda a gama das mais diversas campanhas, onde se pode destacar a de "Um Milhão de Árvores". As campanhas como a do calendário escutista, a do seguro escuta, a da sede própria e outras, têm enriquecido o património do Corpo Nacional de Escutas. A nÍvel pedagógico deve dar-se especial realce para o aparecimento das metodologias educativas das quatro Secções, de livros, revistas, fichas e manuais.
Rover's, encontros e fóruns de caminheiros, expansão do Escutismo Marítimo, a forte sensibilização do Escutismo de integração, são pontos fortes na vida da associação.
Os últimos três Acampamentos Nacionais, como o de Bagunte em 1987, o do Palheirão em 1992, em que o governo atribuiu a Ordem de Mérito, como reconhecimento do CNE junto dos jovens Portugueses e o de Valado de Frades em 1997, constituíram pontos altos na vida da Associação e dos milhares e milhares de jovens participantes.
Como resultado destes eventos foi a presença maciça no Jamboree da Holanda em 1995 e do Moot na Suécia em 1996 que são bem o testemunho do grande desenvolvimento que ocorre a todos os níveis.
Seminários como o da Família em 1994 e o congresso "Valores e Missão" em 96/97, concretizam a forte maturidade e implantação do Escutismo Católico em toda a sociedade portuguesa.
A última palavra para a organização do CNE, com a publicação dos últimos estatutos, diversos regulamentos e regimentos e os mais diversos protocolos com destaque para os dos Países de Língua Oficial Portuguesa.
Mais recentes há muitas outras coisas para comemorar, como sendo o 1º. Centenário do primeiro acampamento Escutista na Ilha de Brownsea, em que Portugal esteve superiormente representado, mas também o Nacional em Idanha, a canonização de São Nuno de Santa Maria... etc...etc...etc.
O Escutismo em Portugal está vivo e recomenda-se!
Arraial...Arraial, por Santa Maria, São Jorge, São Nuno, São Paulo, São Francisco de Assis e Portugal!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

DOIS MÉTODOS DE FORMAÇÃO

Quando recordo o Método Escutista criado por Baden-Powell, sei que estou a lembrar apenas e tão só aquele que é, reconhecidamente, o melhor movimento educacional para a educação integral da juventude.
Não teria nenhum interesse estar a recordar tal facto se não estivesse em causa o factor EDUCAÇÃO DA JUVENTUDE, pois são conhecidos vários métodos destinados aos jovens, mas nenhum conseguiu ter o impacto conseguido com o uso do "Escutismo para Rapazes", do "Manual do Lobito", do "Sistema de Patrulhas" ou do "Caminho do Triunfo".
No entanto sou levado a reconhecer "A Pedagogia Waldorf" como o maior movimento educacional independente no mundo. Foi este sistema proposto pelo filósofo social austríaco Rudolf Steiner (1861-1925), após ter sido convidado por uma indústria alemã, a Waldorf-Astoria, a fundar uma escola para os filhos dos operários da fábrica, na cidade de Stuttgart.
Dessa forma nasceu em 1919, com essa primeira escola e quando ainda se vivenciava o fim da primeira guerra mundial, um novo conceito de educação, baseado no conhecimento profundo do desenvolvimento humano.
A tarefa proposta pela escola foi sendo assumida por centenas, milhares de pessoas que hoje trabalham nas escolas espalhadas pelo mundo inteiro. As escolas Waldorf formam, hoje, a rede independente que mais cresce no mundo. Reconhecida pela UNESCO, cada uma dessas escolas faz parte da cultura local do país, região ou cidade onde está inserida, mas todas têm um currículo comum, com propostas metodológicas que estimulam o entusiasmo pela aprendizagem e o desenvolvimento saudável da criança, que desafiam as faculdades críticas e de julgamento que não raro se manifestam mais fortemente a partir dos 12 anos.
A tarefa da educação Waldorf está no respeito à individualidade da criança, despertá-la, desenvolvê-la e incentivar o seu desabrochar. O professor, ao identificar os talentos e capacidades de cada criança, exercita o interesse perante as diferenças de cada um.
Espelhadas no atuar do adulto, as crianças preparam-se para uma sociedade multicultural, sem distinções sociais, religiosas ou nacionais.
Em pesquisas efectuadas na Grã-Bretanha aponta-se para o ambiente das escolas Waldorf como sendo aquele que apresenta a mais baixa incidência de alergias nas crianças, bem como o mais baixo índice de faltas escolares por doenças. Podem-se interpretar esses dados tanto pelo largo uso de medicina homeopática e/ou antroposófica entre as crianças, como pela alimentação rica em verduras e cereais integrais (que são estimulados na vida escolar) e pelas propostas de ensino.
Rudolf Steiner referia a pedagogia Waldorf como o alimento necessário para o bom desenvolvimento do querer (vontade), sentir e pensar da criança. A escola deve propiciar as vivências diárias que vão permitir à criança utilizar as forças do querer, do sentir e do pensar; não deixando nenhuma dessas represadas sem fluir no organismo.
Olhando aquilo que diz Steiner e revendo o que BP nos ensina, sou levado a concordar com um facto que se encontra por demais implícito nas duas metodologias de ensino: Ambas são viradas para a educação total do jovem... ambas são conducentes a uma necessidade de se dar à criança o sentido das coisas através do querer, do sentir e do pensar.
Logo, a pedagogia Waldorf nem sequer poderá ser considerada como uma forma de se dar outra dimensão ao Escutismo, porque poderá ser um método que surgiu para complementar outro, mas nunca será um substituto, apesar de todo o valor da pedagogia aludida.
O Escutismo visa a educação integral do jovem e a pedagogia Waldorf visa ser uma forma complementar na aplicação do método Escutista, porque este ainda não encontrou um substituto à altura.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

ACAMPAMENTO AMBIENTAL

Nos dias que passam, uma das palavras que mais se ouvem é "proteger o ambiente"... "fazer uso de métodos ecológicos na montagem dos nossos acampamentos"... "utilizar a separação de objectos passiveis de reciclagem" e tantas outras coisas que já deixaram de ser simples moda ou a preocupação de alguns jovens cabeludos, desses que usam óculos redondos e de ideias radicais e passaram a ser uma exigência consciente de uma sociedade que anseia por viver melhor, de um modo mais saudável e está atenta, pois em todo o mundo começou a existir uma consciência colectiva capaz de nos levar a exigir o ar mais puro, a água menos poluída, menos poluição sonora, uma arquitectura em que é notória a harmonia de linhas e correcta inserção na paisaigem, imperando o bom gosto e o conforto, cores não agressivas... em suma: UMA VERDADEIRA APOSTA NA QUALIDADE DE VIDA... que deve ser preocupação do Escuteiro.
De facto, o Escutismo pode considerar-se o mais antigo movimento de defesa ambiental, pois foi o próprio Fundador, Baden-Powell, quem se propõe incluir no Escutismo uma Lei em que é fundamental respeitarem-se as plantas e os animais (Artigo 6º. da Lei do Escuteiro: O ESCUTEIRO PROTEGE AS PLANTAS E OS ANIMAIS), mesmo que naquele tempo a defesa do ambiente ainda fizesse pouco sentido. A conservação do ambiente tem hoje um campo de acção muito vasto, estando a ser realizada uma tremenda luta que permita salvar o planeta terra, sendo esta luta menos amadora e mais científica, menos poética e mais jurídica.
O que se pretende com aquilo que se escreve? Apenas e tão só deixar um "ALERTA" para alguns dos erros que se vão cometendo, muitas vezes, quando vamos acampar... e agora é chegado o tempo dos grandes acampamentos de Verão.
Baden-Powell sempre alertou para a necessidade de se "deixar o local de acampamento melhor do que o encontraste", pelo que vamos deixar aqui algumas sugestões e cuidados a ter para a protecção ambiental nos acampamentos.
Ao chegares ao local do acampamento...nunca arranques a vegetação que por lá exista, pois se o fizeres estarás a contribuir para que, por causa da utilização contínua, a erosão depressa torne o campo num local onde se tornará impossível voltar a acampar.
O que será bom é limpares o local do teu acampamento, retirando os paus e as pedras que nele encontrares.
Ao proceder à montagem do campo... não pregues nem espetes nada nas árvores, pois se o fizeres vais danificar os canais condutores da seiva da árvore... e isso, quando menos esperas, acabara por matar a árvore. O que deves é usar uma espia e com ela seguras aquilo que quiseres.
... nunca faças regos em volta da tenda, pois ao fazê-los estarás a destruir a camada de "manta morta" (humus), causando graves danos no sistema radicular da vegetação existente. Sendo imprescindível fazer regos para escoar as águas das chuvas - se a tenda não é impermeável...por exemplo - fá-los então de um tamanho reduzido e com pouca profundidade.
Para as construções de campo... nunca cortes nenhuma árvore, pois quando o fazes estás a desperdiçar e a danificar os recursos florestais existentes. Posso lembrar-te que "uma árvore é uma vida". Deves reduz as construções a um mínimo possível, usando algumas madeiras de troncos caídos... e tenta que as construções fiquem apoiadas nas árvores, pois assim reduzirás a madeira para as construções.
... não desperdices a água, pois esta é um recurso natural de elevada importância e já está bastante limitado. Utiliza a água com método e parcimónia, evitando deste modo um consumo elevado de um bem tão precioso.

... na lavagem da loiça ou da roupa, nunca utilizes detergentes que não sejam biodegradáveis . Se usares estes produtos estarás a contribuir para uma contaminação dos lençóis de água existentes no subsolo. Lava a loiça ou a roupa utilizando sempre detergentes biodegradáveis, pois são menos poluentes.
No teu dia-a-dia no acampamento procura não deitares nada para o chão. Se o fizeres estarás a destruir a floresta, poluindo-a. Utiliza sacos para recolha e tranporte dos lixos para um local onde façam a sua recolha, quando terminar o acampamento. Dentro do possível, deves separar esses lixos por tipos.

... nunca grites com os teus companheiros nem utilizes rádios, porque se o fazes não poderás disfrutar do "silêncio" que a vida no campo te pode oferecer...e estará a perturbar o "habitat natural" onde te encontras.

Se cumprires com estes simples princípios, podes ter a certeza de que o teu acampamento de verão irá decorrer de uma forma de que te irás orgulhar!
É que o bom Escuteiro faz coisas boas por bons motivos ... e até nem precisa que lhe lembrem a Lei! Basta-lhe ser consciente!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Um Escuteiro ensarilhocado

Zé Manel, o novato da Patrulha Pombo, andava numa corrida desenfreada, em cima do seu skate, procurando encontrar os sinais de pista que o Chefe lhe havia falado. Tinha que os seguir... mas como se não sabia que sinais eram esses? Já passara por uma seta bifurcada... um X, um círculo com outro lá dentro... mas isso não lhe dizia nada! Continuou a caminhada:
“Rola, rola, meu querido skate... vai lá mais depressa um pouquinho!” incitava o novato Escuteiro, inclinado sobre si mesmo para tentar vêr os sinais que buscava.
Passados alguns minutos, viu finalmente alguma coisa que lhe chamou a atenção: viu uma carta desenhada no chão, com o número 3 no meio... devia ser isso: O CHEFE SEMPRE DISSE, NAS PALESTRAS AO GRUPO, QUE UMA CARTA DESENHADA COM UM NÚMERO É SINAL DE MENSAGEM ESCONDIDA A X PASSOS! Finalmente estava no bom caminho!
Seguiu os passos indicados e... EUREKA! A carta ali estava à espera dele, prontinha para ser lida, pelo que vamos lá a pôr mãos à obra!
Aberta a carta, viu uns arabescos que logo reconheceu serem feitos pelo punho do Reinaldo, o Guia da Patrulha. Nela dizia que era o dia da BA e que todos deveriam procurar um modo de cumprir o dever imposto pela Lei do Escuta. A avaliação para as Boas Acções seria feita e os resultados seriam divulgados durante o Fogo de Conselho, pelo que urgia apressar o final do Grande Jogo para haver tempo para a avaliação.
“Zé... é a tua oportunidade, uma carta que te vai dar o sucesso junto da Patrulha! Vão vêr quem é o Novato!” - pensou o nosso amigo.
Bom, bom, deixa-te mas é de coisas…” - dizia-lhe a razão, “como és mesmo um principiante nestas coisas, o melhor é apressares-te, senão acabas depois do Fogo de Conselho! Faz mas é o que vem aí escrito.”
Na carta, em linguagem de código, que ele até havia aprendido bem, dizia:
“Caro Irmão Escuta: uma senhora, de uma idade já avançada, pede para ser salva das mãos de um perigoso grupo de malandros, que a não deixam descansar para lhe roubarem a fruta do quintal! A casa da senhora fica perto da Igreja Matriz e é uma que tem uma grande macieira logo à entrada do portão.”

“Claro que nem água em dia de chuva... é a história do costume” disse Zé Manel de si para si, com ar de desilusão, limpando o suor da testa com as costas da mão. “E onde estará ela, meu Deus? Como sei quem é a senhora se a não conheço?”
“Diz aqui que está num quarto fechado... de que lado? Como sei que não é uma armadilha?”
“Boa!” disse o Novato de si para si, revirando os olhos com o nervoso miudinho. “Para além de Escuteiro empenhado em praticar uma BA... ainda tenho de ser bruxo para adivinhar uma situação tão difícil como aquela... uma avózinha em maus lençóis porque deixou a porta aberta...
... é no que dá! Santa paciência…”
E lá continuou o seu caminho:
“Bem, vamos lá, meu skate, espera-nos uma aventura… algures!” - E dito isto, saíu a toda a velocidade que a sua experiência com o skate permitia. Sabia que era uma aventura que ia viver, mas isso não o incomodava. O 11º. Artigo da Lei dizia: "O ESCUTA NUNCA SE ENSARILHOCA!"... e o Zé cumpria a Lei calcorreando as ruas da vila como se fosse D. Quichote a cavalgar o seu Rocinante em galope pelas florestas, procurando encontrar a sua prometida donzela Dulcineia del Toboso e salvá-la das mãos daqueles que a aprisionavam.
A busca da velha senhora iria ser difícil, mas a dificuldade dava-lhe ânimo. E lá seguia procurando acompanhar sempre de perto o caminho indicado na carta, sorrindo para si próprio com a vaidade por ter encontrado aquela mensagem. Só era preciso não se perder!
A viagem ia decorrendo sem problemas, se não contar aquela vez em que ficou pendurado num ramo de árvore que se atravessou no caminho, enquanto as suas botas continuaram em cima do skate por ali fora… E também quando caiu pela cascata quando tentava atravessar um rio sem saír de cima do skate… Para além destes precalços, tudo corria bem!
Zé Manel, finalmente, parou. “Hum… estranho, não conheço este local mas parece que já ouvi falar nele... Uma macieira no quintal... Aha! Já sei. É o quintal descrito na carta e aquela casa, que tem fumo na chaminé, só pode ser a da senhora que pede socorro! Brilhante dedução!” pensou ele, muito convencido, ao mesmo tempo que saía de cima do skate e colocava este debaixo do braço.
E continuou, de si para si, “agora só falta encontrar maneira de entrar na casa da senhora, libertá-la e regressar ao acampamento.
E lá foi, perguntando-se e respondendo às suas lucubrações. “Casa com quintal?”... “Por ali.”... “Porta da casa?”... “É aquela.” até que finalmente o valente Novato conseguiu entrar na belíssima casa, rodeado de um jardim colorido com milhares de flores... e onde havia uma bela macieira de onde pendiam frutos apetitosos, muito vermelhinhos.
“Nada mau, nada mau, nem parece uma casa onde os malandros dos ladrões de fruta venham molestar uma senhora já de idade. E até devem estar a cozinhar, pelo fumo que se vê sair lá por trás…”
Nisto, ouviu-se um grito de socorro! Correndo para o sítio de onde saíu o grito e avistou a tão ansiada senhora de idade já avançada, que se encontrava na cozinha, junto ao fogão que ficava do lado direito de quem entra e onde crepitava um alegre fogo, muito vivo. A senhora esbracejava, aflita, e o nosso Escuteiro, como um Cavaleiro da Távola Redonda de antanho, avançou rapidamente para lá. Agora sim, era a altura de tornar realidade o sonho que sempre tivera: ser o primeiro Escuteiro da sua Patrulha a fazer uma BA durante um jogo... ou talvez não fosse o primeiro, mas não importava: IA GANHAR O GRANDE JOGO, estava certo!
Colocou no chão o seu inseparável skate e disse à senhora, que tinha um olhar muito doce e nada assustado: “Esperai, minha querida senhora, não tardarei a salvar-vos!”
Começou então a olhar em redor, voltou a olhar para aqui e ali, até que perguntou:
"Onde estão os malandros que lhe querem roubar as maçãs? Não estava ninguém lá fora, pareceu-me!"
A senhora diz-lhe, então: "Meu querido menino... não havia ninguém a roubar maçãs, até porque elas são para dar aos pobres aqui da terra! Ainda ontem mandei um saco delas para os Escuteiros que estão acampados ali na Várzea! Não és um deles, pois não?"
“Minha senhora... então não precisa de ser salva! Só a mim podia acontecer isto”
“Agradeço meu nobre e valente Escuteirinho. Não era preciso teres vindo até aqui, pois não há qualquer perigo.” disse-lhe a senhora.
“Não?” perguntou Zé Manel, meio envergonhado. “Mas ouvi o vosso grito, ainda à pouco... ”
“Grito? Que grito falas tu, meu rapazinho? Eu moro aqui. É a minha casa. O único problema é
que havia fogo na cozinha, por isso eu estava a gritar por ajuda, mas não passou de um pano que ardeu! Consegui apagar e pronto!”
Zé Manel sorriu ligeiramente, fazendo aquela cara de parvo tão sua característica, pegou no skate, e disse:
“Bolas! Lá vim salvar a pessoa errada!”
E partiu para o acampamento, sem pensar mais na BA que tinha de fazer, segundo a mensagem encontrada. O Chefe iria perceber, quando ele contasse o que tinha acontecido.
Talvez tivesse deixado de ser o Novato que todos conheciam! As lições aprendem-se!

sábado, 6 de junho de 2009

ESCUTISMO MOÇAMBICANO... QUE ESCUTISMO?


No tempo colonial, o Escutismo em Moçambique estava a ser orientado pelas duas Associações Portuguesas: O Corpo Nacional de Escutas e a Associação dos Escuteiros de Portugal - se bem que esta não tinha grande expressão em todo o território, ao contrário do que acontecia com o CNE.
Com a chegada da Independência, talvez pelo modelo político seguido pelas novas Autoridades Governativas Moçambicanas, que era de inspiração comunista, jamais se julgou ser possível voltar a vêr o Escutismo florescer na nova Nação, porque os Pioneiros seriam a organização de juventude a ser defendida pelo Estado moçambicano, foi com espanto que algumas pessoas fizeram ressurgir o Movimento de Baden-Powell, mercê de uma Associação de Escuteiros de Moçambique em boa hora criada no ano de 1994.
Desde então promoveu-se o lançamento de um Programa de Progresso Escutista, com actividades pacíficas e variadas.
O Método destina-se ao cumprimento de um Programa centrado numa combinação equilibrada de actividades variadas, voltadas para os interesses e necessidades dos participantes.
Os Escuteiros, membros da Liga dos Escuteiros de Moçambique, tem possibilidade de realizar o Programa de Progresso Escutista nas seguintes Secções:

Secção de Lobitos (7-12 anos da idade) subdividida em quatro programas adoptados de acordo com a idade das crianças (Chita, Leopardo, Leão e Lobito);
Secção Escuteiros Júniores com Secções de Voluntários (12-14) e de Exploradores (14-16);
Secção Escuteiros Séniores com Secção de Pioneiros (16 - 18)
Secção de Caminheiros (18-21) que ajudam os adultos a expandir o escutismo e mostram o caminho para os verdadeiros valores ;
Secção dos Escutistas (21 – 26), composta por jovens adultos, participantes nos cursos;
Secção de Preceptores (a partir de 26 anos de idade) tem vários graus como: Animador, Akela, Mentor, Sub-Mestre, Mestre e Arquimestre e é reservada aos adultos dirigentes do Movimento Escutista, diplomados pelo Centro de Método Escutista e portadores da Insígnia de Madeira.
Promessa de Escuteiro:
Tenho toda a vontade de oferecer a minha PátriaTudo o melhor que eu tenho e sei;Toda minha força e vida;Ajudar aos necessitados;Lutar pela unidade nacional;Cumprir a Lei do Escuteiro;Ser disciplinado e útil na sociedade;Deus me ajude;Sempre Pronto!

Lei do Escuteiro:
O Escuteiro é verdadeiro e sua Palavra é sagrada.
O Escuta é leal.
O Escuta é prestavel e pratica diariamente uma boa acção.
O Escuta é amigo de todos e irmão de todos os outros escutas.
O Escuta é cortes.
O Escuta protege as plantas e os animais.
O Escuta é obediente.
O Escuta é alegre e sorri perante as dificuldades.
O Escuta é sóbrio, económico e respeitador do bem alheio.
O Escuta é puro nos pensamentos, nas palavras e nas acções

"Como movimento educacional que é, o Movimento Escutista não se envolve na disputa pelo poder político. Entretanto, os princípios em que se baseia o movimento orientam as opções políticas pessoais dos seus membros; e a formação de cidadãos responsáveis, participantes e úteis exige que estejam atentos à realidade política.
Qual é o homem e a mulher que pretende oferecer à sociedade o Movimento Escutista que visa a Cultura de Paz e auto-educação cívica? Deseja-se que os jovens que tenham sido Escuteiros, pelo menos numa Secção, façam o melhor possível para serem:
· Um homem ou uma mulher recta de carácter, limpo de pensamento, autêntico na sua forma de agir;
· Leal e digno de confiança;
· Capaz de tomar suas próprias decisões;
· Respeitador do ser humano, da vida e do trabalho honrado;
· Simpático, alegre e capaz de partilhar a sua alegria;
· Patriótico mas sem chauvinismo e tribalismo, constructor da Paz em harmonia com todos os povos;
· Líder ao serviço do próximo;
· Integrado no desenvolvimento da sociedade;
· Capaz de dirigir, de acatar leis, de participar;
· Consciente de seus direitos, sem se descuidar dos seus deveres;
· Forte de carácter, criativo, esperançoso, solidário, empreendedor;
· Amante da natureza e capaz de respeitar a sua integridade;
· Guiado por valores espirituais, comprometido com seu projecto de vida em permanente busca de valores universais e coerente com a sua fé.
· Capaz de encontrar os seus próprios caminhos na sociedade e ser feliz"
Acredita-se que seja um passo gigantesco para que o Escutismo em Moçambique seja uma realidade, apesar de haver um certo receio pelo facto de os antigos Presidentes de Moçambique - presentemente é Joaquim Chissano - estarem inseridos no Escutismo Moçambicano, com um importante papel a desempenhar, sabe-se... apesar de pretenderem que o Escutismo não é um sucedâneo da antiga Mocidade Portuguesa... que era "orientada" por antigos homens fortes do Estado Português... entre os quais Marcelo Caetano.
O tempo dirá se é Escutismo... ou Pioneirismo!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

São Nuno de Santa Maria

***+++++++++***
*
A notícia esperada surgiu a 21 de Fevereiro de 2009, quando Bento XVI anunciou a canonização do «Condestabre». Um caminho longo – cerca de 578 anos - que culminou, a 26 deste mês, com a inscrição de Nuno Álvares Pereira no álbum dos santos. O Papa Bento XVI canonizou, no passado dia 26 de Abril, D. Nuno Alvares Pereira. O homem do estado que soube colocar os superiores interesses da nação acima das suas conveniencias, pretensões ou carreira.
Num tempo em que o Reino de Portugal vivia uma grave crise nacional, D. Nuno optou por, de forma corajosa, ser parte da solução e, numa entrega sem limites, enfrentou com esperança os grandes desafios sociais e políticos desta Nação, enaltecendo-se ainda o total despojamento dos avultados bens que possuía e a radicalidade na sua entrega a Cristo. Não se quiz valer dos seus títulos de nobreza, do prestigio ou da riqueza, para viver num clima de luxos e grandezas, mas antes se decidiu por servir preferencialmente os mais pobres e necessitados do seu tempo.
O Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português, especialmente a Fraternidade de Nuno Álvares, não podia nem queria faltar a esta cerimónia, pelo que se deslocou à Praça de S. Pedro, no Vaticano, onde se juntou à restante representação Nacional, formando assim um enorme contigente de Escuteiros peregrinos de todo o território português, que procuraram não passar despercebidos no meio dos milhares de fieis ali presentes, d
ando mais cor e alegria àquela Praça .
Durante a estadia, tiveram ainda oportunidade os Escuteiros de participar numa oração na Basílica de S. Paulo fora de muros, após o que visitaram o centro histórico de Roma e o Vaticano, participando depois na Vigília de Oração realizada na Igreja de Santo António dos Portugueses, a que presidiu o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José da Cruz Policarpo.
Este foi um momento assaz importante, para a Igreja Católica Portuguesa e para o Movimento Escutista Católico Português, que vêem chegar aos altares, agora canonizado, o "Santo Condestável" que também é o Santo Patrono do Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português.
São Nuno de Santa Maria é o oitavo santo do catolicismo português. Às virtudes da sua vida, assumidas segundo a experiência católica de olhar os outros e as coisas, acrescenta-se o facto do seu percurso biográfico estar intimamente relacionado com a História de Portugal, a sua independência e a consolidação da nacionalidade.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

DIA MUNDIAL DO ESCUTISMO

O dia 23 de Abril é dedicado ao padroeiro mundial do Escutismo, São Jorge.
Por tal motivo, o Escutismo está em festa ao comemorar o seu patrono, assim como a Inglaterra, mas aqui não apenas pelos "Scouts" mas porque São Jorge também é o Santo Padroeiro do Reino Unido.
São Jorge foi canonizado no ano de 494 d.C., pelo Papa Gelásio, que o proclamou como um daqueles cujo nome “será referido entre os Homens, mas cujos actos serão conhecidos apenas por Deus”.
A lenda de São Jorge é uma alegoria da luta do Bem contra o Mal. O próprio nome provem do Grego e significa "Homem da Terra".
Conta-se que um dia o nobre cavaleiro São Jorge cavalgava para a cidade pagã de Silene, onde hoje se situa a Líbia, para prestar ajuda a um povo que andava aterrorizado por um dragão, cuja alimentação diária se compunha de um... cidadão. A próxima vítima seria Cleolinda, a própria filha do Rei. Mas aconteceu ter aparecido São Jorge para combater aquele temível dragão, colocando nessa tarefa todo o seu empenho e enorme coragem moral e física - metas que um bom Escuteiro deverá propor-se atingir -, deixando assim o povo livre do seu opressor... acabando por converter esse povo ao Cristianismo.
No "Escutismo para rapazes", Baden Powell disserta sobre os Cavaleiros da Távola Redonda, "falando-nos" da Lenda do Rei Artur e de São Jorge, o seu santo protector. Diz-nos B.P.: "São Jorge é também o patrono de todos vós, escuteiros, em qualquer lado onde estiverdes. Por isso todos vos devereis saber a sua história, pois São Jorge é um exemplo sempre vivo do que um escuteiro deve ser. Quando ele enfrentava o perigo ou situações temerosas, quanto mais difíceis elas pudessem ser, mesmo na forma de um dragão – ele nunca as evitava ou tinha medo. Enfrentava-as sim, com todo fervor sem procurar descanso. É esta exactamente a forma com um escuteiro deve enfrentar uma dificuldade ou um perigo, não importando o quão grande e terrífico ele possa parecer. O escuteiro deverá enfrentá-lo com confiança, usando todas as suas forças possíveis e ultrapassando-se a si próprio, provavelmente terá sucesso”.
.
ARRAIAL... ARRAIAL...
POR SÃO JORGE...
E PORTUGAL !!!
BOM DIA DE SÃO JORGE!
Lobo Esfaimado

sábado, 18 de abril de 2009

ARRAIAL POR S.JORGE E SÃO NUNO...




O mês de Abril está destinado a proporcionar grandes realizações no campo do Escutismo... especialmente o de inspiração cristã, sendo o Escutismo Católico o que mais razões tem para dar graças ao Divino Chefe, porque nos dá mais um motivo de júbilo com a canonização de Frei Nuno de Santa Maria, o nosso querido Patrono D. Nuno Álvares Pereira, que será realizada na Praça de S. Pedro, no Vaticano, no próximo dia 26 de Abril.

.
Como por certo todos sabemos, o Corpo Nacional de Escutas irá estar bem representado naquela cerimónia, até pelo facto de a nossa Fraternidade se chamar precisamente... de NUNO ÁLVARES!
Mas também o dia 23 de Abril é dia de festa para todos os Escuteiros, porque se comemora o Patrono Mundial do Escutismo, São Jorge! Também aqui estará o Corpo Nacional de Escutas empenhado em ter uma comemoração condigna, como é apanágio do CNE.
.
Está o Escutismo Português a atravessar um bom momento da sua vida, apesar da crise que se estende um pouco por todo o lado. Nós, que um dia prometemos pela nossa honra e com a graça de Deus fazer todos os possíveis por cumprir os nossos deveres para com Deus, a Igreja e a Pátria... e auxiliar os nossos semelhantes em todas as circunstâncias, não podemos estar indiferentes a mais este desafio que nos é feito... para mais com a Igreja a tomar parte activa, mais uma vez, na ajuda àqueles que sofrem na carne os efeitos da crise.
.
Talvez seja o momento em que cada um de nós terá de tomar em suas mãos o verdadeiro sentido da prática da Boa Acção de cada dia, a que um dia nos propusemos perante Deus e a nossa comunidade. É uma oportunidade única que devemos aproveitar para dar livre curso à nossa generosidade.
.
Que cada Região, Núcleo, Agrupamento, Alcateia, Grupos ou Clã, sem excepção, se mobilize para dar a mão à Igreja nas iniciativas que agora preconizou para ajudar aqueles que sofrem!
É nestes momentos que a Promessa ganha maior significado, porque é vivida em plenitude.
.
BOA CAÇA E UMA GRANDE CANHOTA DO LOBO ESFAIMADO

domingo, 12 de abril de 2009

ALERTA: CRISTO VIVE!


No Domingo, no alvor do dia, ocorreu a ressurreição de Cristo. Haviam-se passado, aproximadamente, 37 horas desde o momento em que morreu.
Durante todas estas horas o túmulo de Jesus esteve vigiado, dia e noite, por soldados de César. Quando aconteceu a Ressurreição, os soldados botaram-se a correr, apavorados. O que teria acontecido nesse momento? Porque os soldados, homens treinados e rotinados nas duras batalhas levadas a cabo pelas Legiões, fugiram com medo?
Nos Evangelhos lemos que algumas mulheres fiéis foram ao túmulo, logo ao alvorecer de domingo. Quando chegaram lá encontraram o túmulo aberto e sem vigias. Um anjo avisa-as que Jesus ressuscitou. Logo depois é o próprio Mestre que aparece a Maria Madalena. Depois aparece a muito mais gente...
Enquanto vivo, Jesus ressuscitou Lázaro. Lázaro voltou à vida em seu corpo físico normal. Voltou à sua vida normal, como pessoa normal. Alguns eruditos acreditam que o acontecido com Lázaro se destinou a preparar os discípulos para aquilo que iria acontecer com Jesus.
Mas o que aconteceu com o Mestre foi muito mais profundo e difícil de entender. Jesus voltou à vida, mas não no mesmo corpo.
Pela primeira vez, de forma clara, o ser humano podia ter uma certeza da vida da alma após a morte. A vida continua, de nada adianta o poder terreno. A verdadeira vitória é aquela que acontece frente aos valores espirituais e eternos. A existência do plano espiritual dá-nos confiança na vitória final do bem e da verdade.
Quando o sábado passou, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e Salomé, compraram perfumes para ungir o corpo de Jesus. E bem cedo no primeiro dia da semana, ao nascer do sol, elas foram até ao túmulo. ... mas, quando olharam viram que a pedra havia sido retirada. “ (Marcos 16:1,3)
Maria Madalena tinha ficado fora, chorando junto ao túmulo. Enquanto ainda chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. Viu então dois anjos vestidos de branco, sentados onde o corpo de Jesus tinha sido colocado, um na cabeceira e outro nos pés. Então os anjos perguntaram-lhe:mulher, porque choras?” Ela respondeu: “porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o colocaram.”
“Depois de dizer isto, Maria virou-se e viu Jesus de pé; mas não sabia que era Jesus. E Jesus perguntou: Mulher, porque choras? Quem é que procuras?” Maria pensou que fosse o jardineiro, e disse: “Se foi o Senhor que levou Jesus, diga-me onde o colocou, e eu irei buscá-lo.” Então Jesus disse-lhe: “Maria”. Ela virou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni!” (que quer dizer: Mestre).

sexta-feira, 10 de abril de 2009

A CRUZ DO MEU SENHOR


A Nossa Cruz
A paz seja contigo
+
Cruz – lugar de sofrimento,
vergonha, sacrifício e morte .
Deus quer que aprendamos a morrer...
...para nós mesmos.
Cristo morreu na cruz,
mas ressuscitou!
Devemos morrer com Cristo
para ressuscitar com Ele.
Essa cruz é uma cruz de renúncia.
Quando aceitamos Jesus recebemos uma cruz,
onde crucificar todos os nossos desejos carnais.
Queremos servir a Deus
sem crucificar o homem velho .
E, quando menos esperamos
eis que o homem velho retorna...
...e nos faz cair por terra.
Quando o inimigo te vier afligir,
se estiveres crucificado para o mundo,
certamente ele não terá como agir na tua vida.
A vida velha não se pendura em pregos,
antes se crucifica na cruz.
Quantos vivem um evangelho sem cruz ?
O coração é um lugar para coisas boas.
Seja qual for a dificuldade, crucifica-a!
Renuncia às coisas más da tua vida
e não olhes mais para as tuas fraquezas,
porque maior é aquilo que está em nós,
do que as coisas que existem no mundo.
Sobre a tua vida estará o Espírito do Senhor
e Ele fará a diferença.
Sê tu uma benção!
+
inspirado em
(Mateus 16:21 – 24)

terça-feira, 7 de abril de 2009

NA SEMANA SANTA...

A última Ceia de Jesus com os Apóstolos
Quando chegou o momento de Sua partida para ao Pai, JESUS, bondade infinita, ofereceu-nos o melhor presente que poderíamos desejar: instituiu a Sagrada Eucaristia, a Sua Presença Real com o Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade na Hóstia e no Vinho Consagrados.
Esta foi a maneira sensível que o Divino JESUS escolheu para permanecer junto do povo que ELE veio salvar e redimiu. Cristo é verdadeiramente o pão descido do Céu como alimento espiritual, força e inspiração para a humanidade na caminhada existencial, o poderoso elo que une e congrega todos os fieis ao redor de um único Altar, até à consumação dos séculos, porque ELE é DEUS com o PAI e o ESPÍRITO SANTO.
São Mateus dá-nos conta daquele inesquecível momento escrevendo as palavras que JESUS falou:
"Enquanto comiam (a Ultima Ceia), JESUS tomou um pão e, tendo-o abençoado, partiu-o e, deu-o aos discípulos, disse: ""Tomai e comei, isto é o Meu Corpo!" . Depois, tomou um cálice e, dando graças, deu-lhos dizendo: "Tomai e dele Bebei todos, pois isto é o Meu Sangue, o Sangue da nove e eterna Aliança, que será derramado por muitos para remissão dos pecados
". (Mt 26,26-28)
São Marcos dá o seguinte testemunho:
"Enquanto comiam, ELE tomou um pão, abençoou-o, partiu-o e deu-o aos discípulos, dizendo: "Tomai e comei! Isto é o Meu Corpo". Depois, tomou um cálice com vinho e, dando graças, deu-lhes, para todos beberem dele . E disse-lhes: "Tomai e Bebei ! Isto é o Meu Sangue, o Sangue da nova Aliança que é derramado em favor de muitos
". (Mc 14,22-24)
São Lucas também nos revela quais as palavras de Jesus Cristo:
"E tomando um pão, deu graças, partiu e distribuiu-o por todos, dizendo: "Isto é o Meu Corpo que será entregue por vós. Fazei isto em Minha memória". E, depois de comer, fez o mesmo com o cálice, dizendo: " Tomai e bebei dele todos! Este é o cálice da Nova Aliança do Meu Sangue, que será derramado por vós".
". (Lc 22,19-20)
São Paulo descreve como JESUS lhe ensinou:
"Com efeito, eu mesmo recebi do SENHOR o que vos transmiti: na noite em que foi entregue o SENHOR JESUS tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o Meu Corpo, que é para todos vós; fazei isto em memória de MIM. Do mesmo modo, após a Ceia, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova Aliança do Meu Sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de MIM
". (1Cor 11,23-25)
O Apóstolo São João que estava ao lado do Mestre descreveu assim as palavras que JESUS pronunciou na Última Ceia:
"Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a Carne do FILHO do Homem e não beberdes o seu Sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a Minha Carne e bebe o Meu Sangue tem a vida eterna e EU o ressuscitarei no último dia. Pois a Minha Carne é verdadeira comida e o Meu Sangue, verdadeira bebida. Quem come a Minha Carne e bebe o Meu Sangue permanece em MIM e EU nele
". (Jo 6,53-56)
As palavras de JESUS são claras e compreensíveis. Naquele momento de despedida criou o mistério da Transubstanciação do Pão e do Vinho que se transformam no Seu Corpo e Sangue, conforme acontece em todas as Santas Missas no momento da Consagração. Neste momento as espécies do Pão e do Vinho são transformadas pelo ESPÍRITO SANTO no seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, mantendo, entretanto a aparência original das mesmas espécies.
Este é uma das grandes notícias aos homens de todos os tempos: CRISTO QUIZ FICAR CONNOSCO ATÉ À CONSUMAÇÃO DOS SÉCULOS!

terça-feira, 31 de março de 2009

O Dia das Mentiras

"Nossa Senhora, Mãe dos Escutas, ensinai-nos a ser verdadeiros"
*
Todos sabemos que o Escuta não mente, pelo que o Dia das Mentiras ou 1º. de Abril, pese embora a sua provecta idade como evento, que é comemorado em grande parte do mundo, não lhe deve dizer muito!
Ao longo dos meus anos de Escutismo, tive sempre presente o 1º. artigo da Lei, que nos diz que "A HONRA DO ESCUTA INSPIRA CONFIANÇA", logo é verdadeiro, é digno da amizade dos seus semelhantes, porque é alguém com honra, que sabe o verdadeiro sentido do que é ser-se uma pessoa confiável, que sabe respeitar e auxiliar o seu semelhante em todas as circunstâncias, como dizemos na Promessa.
Poderá dizer-se que o Dia das Mentiras é um dia em que se pode brincar com os outros, pregar-lhes algumas partidas... ser "bobo", como dizem os ingleses. Será que isso fará de nós maus Escuteiros? Menos dignos da Lei, dos Princípios e da Promessa que um dia fizemos? Não! Não será uma brincadeira que nos irá tornar menos dignos do caminho que escolhemos, porque acredito que não iremos manchar o nosso orgulho de Escuteiros com "brincadeiras" capazes de nos lançar anátemas no que concerne ao cumprimento dos nossos deveres para com Deus, a Igreja e a Pátria!
Recordo aqui o Código dos Cavaleiros, que diz:
*
- "ESTAI SEMPRE PRONTOS E ARMADOS, EXCEPTO DE NOITE, QUANDO REPOUSARDES";
- "EM TUDO O QUE FIZERDES PROCURAI ALCANÇAR HONRA E FAMA DE HONESTIDADE";
- "DEFENDEI OS POBRES E OS FRACOS";
- "AUXILIAI AQUELES QUE SE NÃO PODEM DEFENDER";
- "NADA FAÇAIS QUE PREJUDIQUE OU OFENDA OUTREM";
- "ESTAI PREPARADOS PARA LUTAR EM DEFESA DA VOSSA PÁTRIA";
- "TRABALHAI MAIS POR HONRA DO QUE POR LUCRO";
- "NUNCA FALTEIS À PALAVRA DADA";
- "DEFENDEI A HONRA DA PÁTRIA COM A PRÓPRIA VIDA";
- "PREFERI A MORTE HONROSA A VIDA VERGONHOSA";
- "A CAVALARIA EXIGE QUE OS JOVENS APRENDAM A EXECUTAR OS SERVIÇOS MAIS PESADOS E HUMILDES COM ALEGRIA E BOA GRAÇA, E A FAZER O BEM AOS OUTROS".
*
Perante aquilo que deixo escrito, não preciso de vos dizer que auguro um bom Dia das Mentiras... a que correspondereis com a verdade da vossa Divisa, que poderá ser "SEMPRE ALERTA PARA SERVIR"... "DA MELHOR VONTADE"... "SEMPRE PRONTOS", mas será sempre uma divisa de quem vive pela verdade, pois quem é pela Verdade vive em Cristo, o Chefe Divino!
BOM DIA 1º. DE ABRIL... E BOA CAÇA!