sábado, 27 de setembro de 2008

ESCUTISMO - Formação integral do jovem

* Agora que recomeçou o ano escolar em todo o País, haverá muitas interrogações que os pais e encarregados de educação gostariam de ver respondidas por quem de direito, quanto àquilo que irão ser as actividades escolares programadas para os educandos à sua responsabilidade.
* Paralelamente ao ano escolar, também se iniciam as actividades da Catequese Paroquial e bem assim írá ser preparado o restabelecimento das actividades Escutistas em todos os Agrupamentos espalhados pelo País.
* O Verão teve o seu epílogo e o balanço do que foi conseguido com o seguir a pista traçada para o ano escutista, nomeadamente:
- O que foi feito em termos de actividades para a Alcateia? Foram cumpridos todos os objectivos propostos? Com que resultados? Prepararam-se as Promessas dos novos Lobitos? E a Passagem, como está prevista? O material tem condições? Foi recuperado o que não estava pronto para utilização? Os seguros... funcionaram? Quando chegar o dia de S. Francisco de Assis, que eles estejam preparados para uma comemoração condigna.
- O Grupo Júnior e o Sénior prepararam actividades próprias ou aceitaram convites de outras Unidades para acampar? Todas as actividades previstas decorreram conforme o plano? Estando em vias de se concretizar a canonização do Beato Nuno de Santa Maria, sabendo nós o que isso significa para todos os Escutas... que tal preparar uma actividade virada para a comunidade, em que sejam postas em evidência as virtudes do Santo Condestável.
- O Clã, depois de haver participado activamente nos Rover's acontecidos um pouco por toda a parte, certamente terá muito para contar. Ao redor da fogueira, em convívio fraterno, preparamos os nossos ouvidos para ouvir e os olhos para vêr as novas que nós trazem das quatro partidas do mundo.
* Perguntou-me alguém como justificava a afirmação de que o Escutismo é uma escola de formação integral do jovem. Sem rebuço de poder errar, disse ao meu interlocutor que o método de Baden-Powell é único, pois prepara o jovem para a vida em sociedade dando-lhe noções do que é a partilha, a generosidade, a lealdade, o saber fazer, além de que lhe incute no espírito a necessidade de ser hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje!
*No Escutismo o jovem está ao serviço de Deus, da Igreja e da Pátria; pratica generosamente uma Boa Acção diária, sem nunca regatear doar-se. E, como "o dever do Escuta começa em casa", é no seu lar que o jovem começa por ser exemplo, é na escola que tenta ser o melhor, é na alegria que conseguirá levar os outros a verem no Escutismo essa escola integral.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

D.NUNO ÁLVARES PEREIRA

Vida religiosa
Nos últimos anos da sua vida Nuno Álvares Pereira recolheu-se no Convento do Carmo, onde morreu.
Após a morte da sua mulher, tornou-se
carmelita (entrou na Ordem em 1423, no Convento do Carmo, que fundara como cumprimento de um voto). Toma então o nome de Frei Nuno de Santa Maria.
Aí permaneceu até ao dia da sua morte, ocorrida em 1 de Novembro de 1431, com a idade de 71 anos.
Durante o último ano de vida do Beato Nuno, el-Rei
D. João I fez-lhe uma visita no Convento Carmo. D. João considerou sempre ter sido D. Nuno Álvares Pereira o seu amigo mais próximo , aquele que o colocara no trono e lutara e salvara a independência de Portugal.
Quando do
Terramoto de 1755, o túmulo de Nuno Álvares Pereira foi destruído, juntamente com o Convento. No seu epitáfio podia ler-se: "Aqui jaz o famoso Nuno, o Condestável, fundador da Casa de Bragança, excelente general, beato monge, que durante a sua vida na terra tão ardentemente desejou o Reino dos Céus depois da morte, e mereceu a eterna companhia dos Santos. As suas honras terrenas foram incontáveis, mas voltou-lhes as costas. Foi um grande Príncipe, mas fez-se humilde monge. Fundou, construiu e dedicou esta igreja onde descansa o seu corpo."
À margem da história, conta-se, como apócrifa, que o Rei Dom João de Castela se teria deslocado ao Convento do Carmo, para se encontrar com Frei Nuno´de Santa Maria, o nosso D. Nun'Álvares, e lhe terá perguntado qual a posição que tomaria se Castela invadisse novamente Portugal. Então o Iirmão Nuno limitou-se a levantar o hábito, e mostrou, por baixo deste, a sua cota de malha, indicando assim toda a sua disponibilidade para servir o seu país sempre que necessário.
Beatificação e Canonização
D. Nuno Álvares Pereira foi
beatificado em 23 de Janeiro de 1918, pelo Papa Bento XV. O seu dia festivo é a 6 de Novembro. O processo de canonização, que havia sido iniciado em 1940, sendo interrompido posteriormente, foi reiniciado em 2004 e teve o seu termo anunciado para o ano de 2008.
Em espírito de acção de graças a Deus pelos dons que abundantemente concede à Sua Igreja, e com profunda alegria, informamos todos os escuteiros que, de acordo com uma notícia veiculada pela Agência Ecclesia, o patrono do Corpo Nacional de Escutas irá, finalmente, ser canonizado!
Como é do conhecimento geral, o processo de canonização de Beato Nuno de Santa Maria estava já em curso, faltando ultimar alguns aspectos próprios deste tipo de processo.
Assim, conforme foi divulgado, «Bento XVI abriu a 3 de Julho as portas à Canonização do Beato Nuno Álvares Pereira, ao autorizar a promulgação de dois decretos que reconhecem um milagre atribuído ao futuro Santo português e as suas virtudes heróicas».

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

ESCUTEIRO DE ONTEM E HOJE...

- Nunca, como hoje, o Escutismo teve tantos "antigos" a envergar a farda e a colocar à volta do pescoço o lenço castanho, símbolo de pertença a um Movimento que é, cada ano que passa, mais credibilizado, mais apreciado, mais segundo as necessidades de complemento à educação integral dos jovens, segundo o método do Fundador, Baden-Powell.
- A Fraternidade Nuno Álvares, talvez por acção do seu Patrono, Beato Nuno de Santa Maria, tem crescido a olhos vistos e a sua acção é credora dos maiores elogios em tudo quanto é sociedade, pois esta dá a mão à palmatória e afirma que o Escutismo, tal como é preconizado para os Lobitos, cresce em graça e idade... só que mais amadurecida.
- Fiz a minha Promessa com 7 anos de idade, portanto já há 58 anos! Em tantos anos a reger-me pela divisa "SEMPRE ALERTA... PARA SERVIR", depois de o ter feito "DA MELHOR VONTADE", jamais me passou pela cabeça a ideia de um dia pertencer à Fraternidade. Sempre me repugnou a ideia de uma dia deixar de ser Escuteiro no activo, porque fiel ao lema que sempre orientou os meus propósitos de vida: "QUEM NÃO VIVE PARA SERVIR... NÃO SERVE PARA VIVER!".
- Mas tudo tem o seu tempo, e o meu tempo no Escutismo já passou à história, porque a vida se encarregou de dizer ser tempo de parar. Valeu a pena? Tudo vale a pena, segundo o poeta, quando a alma não é pequena. Ficaram para sempre as memórias dos vários acampamentos pelo País e por algumas partes do mundo! Ficou-me a certeza de ter andado pelo mundo a cultivar a Amizade - um bem supremo que nunca deve ser alienado - ajudando a crescer muitos jovens de ontem, que hoje estão na sociedade com verdadeiro orgulho daquilo que são... e do que foram graças ao Escutismo!
- Talvez não seja utópico dizer-se que "QUEM FOI ESCUTEIRO UM DIA... SERÁ ESCUTEIRO TODA A VIDA!", porque dentro de nós está sempre o espírito da "RADIOSA FLORAÇÃO...", a certeza de que "SOMOS A FLÔR DA FRAGÂNCIA..." que um dia, talvez ontem mesmo, se reunia "AO REDOR DA FOGUEIRA" ciente de que não foi em vão que pediu ao Chefe Divino "MINHA PROMESSA ATENDE...", porque "NÓS SOMOS OS ESCUTEIROS, DESTA PÁTRIA SEM RIVAL..."
- Por agora... BOA CAÇA e SEMPRE ALERTA... ontem, hoje e sempre, com a Graça de Deus!