sexta-feira, 22 de agosto de 2008

ESCUTEIROS DA EUROPA... O QUE É?

Educação diferenciada para rapazes e raparigas
*
H Há já dezenas de anos que a educação mista foi imposta no domínio escolar: actualmente, faz parte da paisagem diária das crianças e dos jovens. Esta situação apresenta, incontestavelmente, aspectos positivos: os rapazes e raparigas não são mais educados na ignorância do outro sexo. Mas no que diz respeito à educação, torna mais difícil reconhecer a identidade plena de cada um.
K A mistura generalizada não permite o recolhimento necessário para que cada jovem se situe e descubra a sua identidade própria. Para além disso, verifica-se actualmente uma forte tendência para sexualizar todos os comportamentos e todas as relações homem/mulher.
p Sob o efeito poderoso da imagem normalizadora veiculada pelos média, favorece-se a generalização de atitudes baseadas nas relações sexuais dos adultos, onde a emotividade e afectividade, que não podem ser senão mal dominadas nesta idade, são as únicas regras de conduta propostas aos jovens.
* Numerosas vozes se fazem hoje ouvir para sublinhar a importância de uma educação diferenciada para rapazes e raparigas. As Guias e Escuteiros da Europa praticam esta diferenciação desde a origem do Movimento.
k Numa sociedade totalmente mista, nós propomos hoje um espaço específico para rapazes e outro para raparigas.
º O objectivo educativo é:
- permitir aos rapazes e raparigas a expressão e afirmação da sua identidade própria: as necessiades físicas e psicológicas, os centros de interesse, os modos de afirmação da personalidade são diferentes; num grupo misto, a tendência é mais de impor a norma masculina (linguagem, vestuário), o que é pouco respeitoso da identidade feminina.
- respeitar as diferenças de maturidade psicológica: especialmente na idade escolar e mesmo liceal; a maturidade precoce das raparigas tem um efeito desvalorizador nos rapazes.
- as actividades escutistas são assim, espaços de liberdade onde os rapazes e raparigas podem desempenhar cada um o seu papel, o que lhes permite descobrir progressivamente a riqueza e harmonia das suas vocações pessoais no plano divino e a sua complementaridade: "Deus criou o Homem à sua imagem... Ele os criou, homem e mulher."
- é por isso que, ao favorecer e respeitar a formação de uma identidade própria no quadro de Unidades homogéneas e separadas, o Movimento procura igualmente levar á descoberta desta complementaridade: a criação de uma organização com duas secções, separadas nas suas actividades mas partilhando as mesmas regras, objectivos e o mesmo ideal, e reunidas na igualdade de poder e de responsabilidade ao nível dos mais velhos e dos adultos, é uma intuição notável de modernidade.
m Em todos os níveis, os responsáveis, homem e mulher, agem conjuntamente. Na idade de Caminheiros e Guias-Mais-Velhas, as actividades de formação e de serviço comuns aos rapazes e raparigas são frequentemente organizadas no quadro do Clã ou do Fogo. No respeito da sua identidade e das suas qualidades, eles vivem, pela prática das suas responsabilidades, uma experiência de complementaridade que os prepara directamente para a sua vocação de colaboração harmoniosa na construção do mundo.
; A Associação está dividida por escalões etários. É assim que, dos 8 aos 12 existem os Lobitos e as Lobitas, dos 12 aos 17, os Escuteiros e as Guias, e dos 17 em diante, os Caminheiros e Guias Mais-Velhas.
Z Em Portugal, a Associação está presente em duas provincías: a da Beira Alta e a da Estremadura. Na província da Estremadura, existem 6 grupos, dois em Massamá, dois em Tercena e dois em Caneças. Na Beira Alta, a AGEEP está presente em Moimenta da Beira e na Lapa, entre outros.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

NO ETERNO ACAMPAMENTO... UM AMIGO

Partiu para o Eterno Acampamento o Pardal-Curioso!

  • O Vitor Manuel da Conceição Touricas, para além da actividade desenvolvida nos Agrupamentos, foi um colaborador dos Serviços Centrais do CNE durante muitos anos, particularmente na revista “Flor de Lis”, onde fez foi um pouco de tudo. Tinha um estilo muito próprio no que escrevia, que se tornava evidente nas rubricas “Dizem de Nós” e “Ecos Escutistas”, onde dava conta de tudo o que a Comunicação Social ia publicando acerca do Escutismo. Pela sua condição de Militar, foi também correspondente (Escutismo) em África.
  • Nascido a 16 Janeiro de 1940, na Raposa, Almeirim, era casado com a "Chefe" Lucinda e pai extremoso do Luis e do Victor José, ambos conquistados para o Escutismo pelo exemplo do Pardal Curioso, cuja empatia a todos seduzia.
  • No Escutismo era detentor de um enorme curriculum . Tornou-se Dirigente do Corpo Nacional de Escutas em Julho de 1969, tornando-se Chefe do Clã e do Agrupamento de S. José Operário, no Negage - Angola. O autor deste Blog foi um dos colaboradores do Pardal Curioso, como Chefe de Grupo do mesmo Agrupamento. Com direcção do Chefe Touricas e composição e impressão do Lobo Esfaimado - o autor deste blog - , foi lançado no Negage o jornal "O BRADO", orgão 0ficial do Agrupamento de S. José Operário. Já na Metrópole, fez o Curso Avançado de Formadores. Foi Chefe dos Agrupamentos 292; Agrupamento 225; Agrupamento 542; do Departamento Nacional; Regional Adjunto; Grupo Explorador; da Redacção da Flor de Lis; Redactor da Flor de Lis; Actualmente era Chefe de Unidade da I Secção.
  • Era portador de louvores e condecorações várias, como a Cruz de S. Jorge de 3ª Classe; Cruz de S.Jorge de 2ª Classe; Cruzde Mérito Monsenhor Avelino Gonçalves.
  • Até Sempre, "Chefe" Touricas!
  • À FAMÍLIA ENLUTADA, O PENSAMENTO DE QUE O VICTOR APENAS FOI PARA MAIS UMA ACTIVIDADE, NO ETERNO ACAMPAMENTO, ONDE O PODEREMOS ENCONTRAR EM AMENA CAVAQUEIRA COM O DIVINO CHEFE, TRATANDO DAS ACTIVIDADES DE AMANHÃ!
  • PELO AMIGO QUE FOSTES, A SAUDADE É GRANDE, MAS CONFORTA SABER QUE CHEGASTES AO FIM DA TUA PISTA EM PAZ E NA AMIZADE DAQUELES PARA QUEM FOSTES EXEMPLO E QUE TE RECORDARÃO PARA SEMPRE!