sábado, 31 de maio de 2008

NO DIA MUNDIAL DAS CRIANÇAS...

* Todos os anos, no 1º. dia de Junho, parece que o mundo se lembra que há crianças, que estas têm direitos próprios consignados, que merecem toda a atenção, assistência, educação, alimentação... mas, em especial, de AMOR!
* Como será do conhecimento geral, as Nações Unidas aprovaram uma lei chamada "Convenção sobre os Direitos da Criança". Essa lei tem 54 artigos que explicam cada um desses direitos.
Os artigos que não referimos aqui dizem, sobretudo, respeito à forma como os adultos e os governos devem trabalhar em conjunto para que todas as crianças gozem dos seus direitos.
ARTIGO 1º - Todas as pessoas com menos de 18 anos têm os seus direitos escritos nesta convenção.
ARTIGO 2º - Têm todos esses direitos seja qual for a raça, sexo, língua ou religião. Não importa o país onde se nasce, se é portador de alguma deficiência, se é rico ou pobre.
ARTIGO 3º - Quando um adulto tem qualquer laço familiar ou responsabilidade sobre uma criança, deverá fazer o que for melhor para ela.
ARTIGO 6º - Toda a gente deve reconhecer que a criança tem direito à vida.
ARTIGO 7º - A criança tem direito a um nome e a ser registado, pois o nome, o dos pais e a data em que nasceu devem ser registados. Tem direito a uma nacionalidade e o direito de conhecer e ser educado pelos pais.
ARTIGO 8º - Deve manter a sua identidade própria, ou seja, ninguém poderá mudar o nome, a nacionalidade e as relações com a família e menos que seja o melhor para a criança. Mesmo assim, deve poder manter as suas próprias ideias.
ARTIGO 9º - A criança não deve ser separada dos pais, excepto se for para seu próprio bem, como por exemplo, no caso de os pais a maltratarem ou não cuidarem dela. Se decidirem separar-se, a criança deverá ficar a viver com um deles, mas com o direito de contactar facilmente com os dois.
ARTIGO 10º - Se os pais viverem em países diferentes, tem direito a regressar e viver junto deles.
ARTIGO 11º - A criança nunca deve ser raptada mas, se tal acontecer, o governo deve fazer tudo o que for possível para a libertar.
ARTIGO 12º - Quando os adultos tomam qualquer decisão que possa afectar a vida da criança, esta tem o direito a dar a sua opinião e os adultos devem ouvir seriamente o que ela tenha a dizer.
ARTIGO 13º - A criança tem o direito a descobrir coisas e dizer o que pensa através da fala, da escrita, da expressão artística, etc., excepto se, quando o fizer , estiver a interferir com o direito dos outros.
ARTIGO 14º - A criança tem direito à liberdade de pensamento e a praticar a religião que quiser . Os pais devem ajudá-la a compreender o que está certo e o que está errado.
ARTIGO 15º - A criança tem o direito a reunir-se com outras pessoas e a criar grupos e associações, desde que não viole os direitos dos outros.
ARTIGO 16º - A criança tem direito à privacidade. Pode ter coisas como, por exemplo, um diário que mais ninguém tem licença para o ler.
ARTIGO 17º - A criança tem direito a ser informado sobre o que se passa no mundo através da rádio, dos jornais, da televisão, dos livros, etc. Os adultos devem ter a preocupação de que compreenda a informação que recebe .
ARTIGO 18º - Os pais devem educar a criança, procurando fazer o que é melhor para ela.
ARTIGO 19º - Ninguém deve exercer sobre a criança qualquer espécie de maus tratos. Os adultos devem protegê-la contra abusos, violência e negligência. Mesmo os pais não têm o direito de a maltratar.
ARTIGO 20º - Se a criança não tiver pais, ou se não for seguro que viva com eles, tem direito a protecção e ajuda especiais.
ARTIGO 21º - Caso a criança tenha de ser adoptada, os adultos devem procurar ter o máximo de garantias de que tudo é feito da melhor maneira para ela.
ARTIGO 22º - Se a criança fôr refugiada (se tiver de abandonar os pais por razões de segurança), tem direito a protecção e ajuda especiais.
ARTIGO 23º - No caso de deficiência, a criança tem direito a cuidados e educação especiais, que a ajudem a crescer do mesmo modo que as outras crianças.
ARTIGO 24º - A Criança tem direito à saúde. Quer dizer que, se estiver doente, deve ter acesso a cuidados médicos e medicamentos. Os adultos devem fazer tudo para evitar que as crianças adoeçam, dando-lhes uma alimentação conveniente e cuidando bem delas.
...
ARTIGO 27º - Toda a criança tem direito a um nível de vida digno. Os pais devem procurar que não lhe falte comida, roupa, casa, etc. Se os pais não tiverem meios suficientes para estas despesas, o governo deve ajudar.
ARTIGO 28º - Toda a criança tem direito à educação. O ensino básico deve ser gratuito e não deve deixar de ir à escola. Também deve ter possibilidade de frequentar o ensino secundário.
ARTIGO 29º - A educação tem como objectivo desenvolver a personalidade da criança, talentos e aptidões mentais e físicas. A educação deve, também, prepará-la para ser uma pessoa informada, autónoma, responsável, tolerante e respeitadora dos direitos dos outros.
ARTIGO 30º - Se a criança pertencer a uma minoria, temo direito de viver de acordo com a sua cultura, praticar a sua religião e falar a sua própria língua.
ARTIGO 31º - Toda a criança tem o direito a brincar.
ARTIGO 32º - A criança tem direito a protecção contra a exploração económica, ou seja, não deve trabalhar em condições ou locais que ponham em risco a sua saúde ou a sua educação. A lei portuguesa diz que nenhuma criança com menos de 16 anos deve estar empregada.
ARTIGO 33º - A criança tem direito a ser protegida contra o consumo e tráfico de droga.
ARTIGO 34º - A criança tem o direito a ser protegida contra abusos sexuais. Quer dizer que ninguém pode fazer nada contra o seu corpo como, por exemplo, tocar-lhe , fotografá-la contra a tua vontade ou obrigá-la a dizer ou a fazer coisas que não quer.
ARTIGO 35º - Ninguém pode raptar ou vender uma criança.
...
ARTIGO 37º - Uma criança não poderá ser presa, excepto como medida de último recurso e, nesse caso, tem direito a cuidados próprios para a sua idade e visitas regulares da sua família.
ARTIGO 38º - A criança tem direito a protecção em situação de guerra.
ARTIGO 39º - Uma criança vítima de maus tratos ou negligência, numa guerra ou em qualquer outra circunstância, tem direito a protecção e cuidados especiais.
ARTIGO 40º - Se uma criança é acusado de ter cometido algum crime, tem direito a defender-se. No tribunal, a polícia, os advogados e os juizes devem tratá-la com respeito e procurar que ela compreenda o que se está a passar com ela
....
ARTIGO 42º Todos os adultos e crianças devem conhecer esta Convenção. A criança tem direito a compreender os seus direitos e os adultos também.
Assim, pode-se dizer que o Dia Mundial da Criança serve para lembrar um grande problema mundial: o esquecimento dos direitos das crianças, raça, religião ou nacionalidade.

domingo, 25 de maio de 2008

O ESCUTA E O MÊS DE MARIA...

* Um dia, não recordo bem quando, dei comigo a assistir, enternecido, a uma procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima, transportada aos ombros por jovens Escuteiros do Agrupamento da localidade onde passava e que, naquele dia, haviam feito a sua Promessa de Escutas.
* Como tinha algum tempo disponível, estacionei o carro, fui ao porta- bagagens e de lá retirei uma pequena mochila, que sempre me acompanhava nas minhas deslocações. Lá de dentro retirei o meu lenço verde e meu "beret", colocando o lenço ao pescoço e levando a boina na mão.
* Assim "equipado", juntei-me à multidão anónima, que seguia a imagem cantando e rezando o terço do rosário. Após uma passagem por algumas artérias da localidade, o andar regressou à Igreja Paroquial, onde foi colocado sobre um altar coberto por uma bonita colcha onde se podia lêr: "NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, MÃE DOS ESCUTAS, ROGAI POR NÓS!".
* Posso dizer que me senti comovido com a invocação Mariana, pelo facto de se honrar a Virgem Mãe de duas formas tão significativas: - Ao mesmo tempo que se honrava a Virgem de Fátima, que apareceu a três crianças no distante ano de 1917, levando-a em solene procissão pelas ruas da terra, também se honrava n'Ela a Mãe de Deus como Mãe dos Escutas, pedindo-lhe a protecção divina para os jovens seguidores de Lord Baden-Powell.
* Quando terminou a cerimónia, um jovem "Chefe" veio ao meu encontro e, fazendo a saudação Escutista, convidou-me a ir até à sede do Agrupamento, onde iam realizar-se alguns actos relacionados com aquele dia, como a investidura de Guias, por exemplo, ou a entrega de insígnias de capacidade e diplomas de Promessa.
* Senti-me deveras honrado com o convite e lá fui assistir ao resto das cerimónias do Agrupamento em festa. Senti apenas um ligeiro incómodo quando os jovens Lobitos e Escutas me solicitaram autógrafos, como se eu fosse uma estrela do desporto ou do espectáculo, mas depressa me apercebi que havia sido reconhecido pelos Dirigentes do Agrupamento, que tinham efectuado um retiro em Fátima, onde acabaram por me vêr "trabalhar" na assistência aos peregrinos, tarefa que desempenhava há já vários anos... e que me levou a integrar os Servitas de Fátima.
* Não é de forma alguma um sinal menos o viver o Mês de Maria como um dia importante na vida de cada um denós, como nos enobrece viver o Dia de S. Jorge, o Dia de Beato Nuno, de S. Francisco de Assis ou de São Paulo! Também o Dia do Pensamento nos diz muito, como o diz comemorar qualquer Santo de Deus, personalidade histórica, herói ou sábio, que tenha merecido o padroado dos nossos Agrupamentos, Alcateias, Grupos ou Clãs.
* Com o Mês de Maria, o mês de Maio, a chegar ao seu termo, quiz deixar aqui o meu testemunho de vida relacionado com a devoção que devemos a Nossa Senhora, Mãe e Rainha de todos os Escutas !

sábado, 3 de maio de 2008

NO DIA DAS MÃES... A CONSAGRAÇÃO À MÃE DOS ESCUTAS...


* Nesta data, em que a Santa Igreja dedica o dia a todas as Mães do mundo, não poderiam os Escuteiros deixar de invocar Nossa Senhora, a Santa Mãe dos Escutas, pedindo-Lhe que interceda junto de Seu Filho Jesus, o nosso Bem Amado Chefe Divino, que nos seja sempre propício e nos conduza na Sua Santa Graça, especialmente quando chegada a hora do nosso Fim de Pista, na partida para o Eterno Acampamento.
* Consagremos, neste Dia da Mãe, a nossa vida á Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe:
Santa Maria, Mãe de Deus e Mãe dos Escutas:
Aqui estamos, na confiança de quem se reune sob o Vosso manto, maior do que o espaço infinito, pois envolveu Aquele que os céus e a terra não podem conter.
Aqui estamos, com a certeza que alcança quem fixa os olhos em Vós, que os fixastes sempre em Cristo, Luz do Mundo.
Aqui estamos, com a pas de quem diz convosco a Deus "FAÇA-SE EM MIM SEGUNDO A VOSSA PALAVRA!"
Aqui estamos, Mãe e Senhora das nossas vidas. Porque nos estendeis o amor com que cuidastes do Vosso Filho. Porque nos encaminhais com a atenção amiga de quem não desiste nunca. Aqui estamos, Senhora, para aprendermos convosco.
Como Lobitos, que guiais na selva, atraente e difícil, da vida e do mundo.
Como Exploradores de ontem e de hoje, que precisam duma Estrela segura que os encaminhe por terra e por mar.
Como Pioneiros, que se querem adiantar até onde haja mais vida a descobrir e a partilhar.
Como Caminheiros, que partam como Vós, com a urgência que o serviço dos outros apressa mais.
Como Dirigentes, que aprendem com o Vosso Filho que a felicidade está mais no dar que no receber.
Por tudo isto Vos queremos consagrar a nossa vida: nas vossas mãos ela encontrará Jesus, vida verdadeiramente divina e verdadeiramente humana, oferecida a todos nós.
Porque a consagração é certeza e luz.
Porque a consagração á vida e caminho: convosco, com Cristo, até ao Pai, nascente e foz de toda a vida. Com água viva do Espírito de Deus, que em Vós recriou o mundo, na humanidade nova de Cristo, nosso Senhor!
A Vós nos consagramos, ó Mãe de Cristo e do seu corpo místico, a Santa Igreja, onde somos o Corpo Nacional de Escutas: hoje e sempre o Escutismo Católico Português! Ámen."